Baseado em evidências

CBD e Obesidade: Pesquisa e Compreensão Atual

No Brasil, quase 54% das pessoas estão acima do peso ou obesas. O óleo de CBD oferece um conjunto de benefícios exclusivos que podem ajudar a perder alguns quilos extras e a proteger o corpo dos impactos negativos da obesidade. Neste artigo, discutiremos como isso funciona e apresentaremos algumas das nossas marcas favoritas de óleo de CBD para perda de peso.

Artigo escrito por
Justin Cooke , postado a 1 semana atrás

De acordo com uma pesquisa feita pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), estima-se que quase 54% dos brasileiros estejam com sobrepeso.

O óleo de CBD surgiu recentemente como um promissor suplemento para perda de peso.

Será que este óleo controverso pode realmente oferecer as vantagens de perda de peso prometidas? Nossas conclusões: sim, mas não diretamente – o CBD funciona através de outros sistemas no corpo ajudando a trazê-lo de volta a um estado otimizado de saúde, o que inclui peso corporal.

Aqui, nós exploramos o CBD e como ele pode ser usado para aprimorar o seu programa de perda de peso, juntamente com outras mudanças na dieta e estilo de vida.

  • Tabela de Conteúdo

Introduzindo o Sistema Endocanabinoide

O sistema endocanabinoide (abreviado para SEC) é um conjunto especializado de hormônios/neurotransmissores feitos de ácidos graxos que ajuda a regular a comunicação entre diversas partes diferentes do sistema nervoso.

Ele é usado para regular diversos tecidos pelo corpo, incluindo os sistemas neurológico, metabólico e imunológico.

Somente em anos recentes os cientistas começaram a descobrir os muitos papéis que este sistema desempenha no nosso corpo e como os canabinoides das plantas de maconha e cânhamo são capazes de utilizar este sistema para nossa vantagem.

O Que é o CBD?

O CBD é apenas um dos cerca de 80 canabinoides diferentes que existem. Estes são um grupo de produtos químicos encontrados quase exclusivamente na família de plantas de cannabis (Cannabaceae).

Para ser classificado como um canabinoide, o composto precisa interagir de alguma forma com o nosso sistema endocanabinoide.

Na planta de cannabis, existem dois canabinoides que representam a maior parte dos constituintes da planta: o CBD (canabidiol) e o THC (tetrahidrocanabinol).

Outros canabinoides incluem:

  • Canabicromeno (CBC)
  • Canabigerol (CBG)
  • Canabinol (CBN)
  • Canabigerovarina (CBGV)
  • Canabidivarina (CBDV)
  • Tetrahidrocanabivarina (THCV)

Todos os canabinoides têm efeitos ligeiramente diferentes, mas todos vão interagir de alguma forma com o sistema endocanabinoide.

Quando se trata de perda de peso, o canabinoide mais importante a se considerar é o CBD.

O canabidiol é o canabinoide predominante nos óleos de cannabis feitos de cânhamo, mas também constitui uma grande porção dos óleos de maconha, que podem ou não conter também o componente psicoativo THC.

O CBD afeta a perda de peso de três formas principais:

  1. Apoia nossas mitocôndrias e a saúde metabólica
  2. Normaliza os níveis de insulina para promover a queima de gordura
  3. Restringe o apetite para diminuir a ingestão de calorias

Mais à frente, vamos entrar em detalhes sobre como cada um deles funciona.

Use Extratos de CBD de Espectro Completo

O CBD é uma ferramenta excelente para adereçar problemas com obesidade e promover perda de peso em pessoas com excesso de peso, mas não consegue fazer isso sozinho.

Existem mais de 200 produtos químicos diferentes na planta de cannabis e todos eles são importantes.

Embora o CBD ofereça a maior parte dos benefícios e demonstrou oferecer suporte à perda de peso por conta própria, os outros produtos químicos contidos na planta o tornam ainda mais eficaz.

Alguns, como os terpenos do óleo essencial da planta, ajudam o CBD a ser absorvido pelo trato intestinal e atravessar a barreira hematoencefálica, ou retardam a quebra do CBD pelo fígado.

Chamamos isso de efeito entourage, porque tanto o CBD quanto o THC são muito mais fortes quando têm a companhia de outros terpenos, flavonoides e canabinoides junto com eles.

É por isso que nós sempre indicamos usar um extrato de espectro completo para a perda de peso.

Você pode encontrar isolados de CBD que prometem concentrações mais altas deste composto do que suas contrapartes de espectro completo, mas estes não funcionam tão bem quanto um extrato com a turma toda incluída.

Como o CBD Trabalha para a Perda de Peso?

Como já mencionamos, existem três maneiras principais pelas quais o CBD pode promover a perda de peso.

Vamos examinar cada uma delas em detalhe e falar sobre como funcionam.

1. Apoia Nossas Mitocôndrias e a Saúde Metabólica

Você talvez se lembre das aulas de biologia do ensino fundamental dizendo que as mitocôndrias são as usinas de energia da célula.

Elas são a organela celular responsável pela conversão de gorduras e açúcares em energia, que as outras partes da célula podem então usar.

Mitocôndrias Preguiçosas nos Deixam Gordos

Quando nossas mitocôndrias não estão funcionando de maneira ideal – o que pode acontecer por diversos motivos diferentes – fica difícil fornecer ao corpo a energia que ele precisa e mais difícil ainda perder peso extra.

O que está acontecendo aqui é que o corpo está absorvendo muita energia da alimentação, mas nossas células estão tendo dificuldade em transformar essa energia em um subproduto que possamos usar.

Para evitar que muito açúcar e gordura se acumulem em nossa corrente sanguínea, o fígado converte quase tudo em gordura e a armazena para que possamos usá-la no futuro.

Isso nos engorda e nos faz sentir cansados.

O CBD e a Mitocôndria

O CBD oferece alguns benefícios exclusivos ao aumentar o número e a atividade de nossas mitocôndrias.

Como isso acontece?

Deixe-me explicar.

Nosso corpo se esforça para manter o equilíbrio de todos os seus sistemas, incluindo o metabolismo. Complexos ciclos de feedback negativo das células de gordura (adipócitos), da glândula tireoide e do hipotálamo no cérebro trabalham juntos para garantir que tenhamos sempre a quantidade certa de energia disponível para nós.

Se não temos o suficiente, nos tornamos fracos. Se temos demais, podemos desenvolver outros problemas como doença hepática gordurosa, diabetes ou doenças cardíacas.

As mitocôndrias são uma parte fundamental do sistema metabólico, mas são pequenas demais para caberem neste sistema por conta própria. É aí que entra o sistema endocanabinoide.

Esse sistema funciona dentro da célula, regulando o nível de atividade das mitocôndrias.

Quando elas não estão trabalhando duro o suficiente, o SEC as coloca no lugar. Quando estão trabalhando demais, produzindo mais energia do que precisamos, o SEC diz a elas que tirem o dia de folga e reduzam a produção.

Isso nos mantém em equilíbrio metabólico, também conhecido como homeostase.

Quando tomamos o CBD, estamos essencialmente aumentando a capacidade do sistema endocanabinoide de manter o controle sobre a mitocôndria.

Para pessoas obesas, isso quase sempre significa colocar as mitocôndrias de volta em forma, convertendo mais gorduras e açúcares em energia, que podemos então queimar.

Quando combinado com exercícios adequados e apoio nutricional, isso pode reduzir significativamente o armazenamento geral de gordura, aumentando a taxa em que nós o queimamos.

Estudos recentes demonstraram que o CBD desempenha um papel modulador chave na função mitocondrial [2, 3]. Ele faz isso indiretamente, através de seu papel na regulação do sistema endocanabinoide como um todo.

2. Normaliza os Níveis de Insulina para Promover a Queima de Gordura

Sempre que comemos uma refeição, os nutrientes dessa refeição são absorvidos pelo intestino e caem na corrente sanguínea.

Quando estas refeições contêm alimentos densos em energia, como aqueles ricos em açúcar e gordura, o corpo recebe uma onda de energia na corrente sanguínea.

Se também estamos queimando uma tonelada de energia através de exercícios e de um metabolismo normal, então isso não é um problema.

Energia que entra = energia que sai.

Com as pessoas obesas, no entanto, há um problema: elas consomem muita energia, mas não gastam muita energia. Isso permite que coisas como açúcar e gorduras se acumulem na corrente sanguínea, o que é muito perigoso.

Altos níveis de gorduras e açúcares no sangue estão intimamente ligados a condições médicas graves, como doenças cardíacas, diabetes, doença hepática gordurosa e até mal de Alzheimer.

A fim de manter o corpo seguro, o fígado entra em ação para converter todo o excesso de açúcar em gordura, que é então armazenada pelo corpo.

Ao armazenar esse excesso de energia como gordura, ela não causa tanto dano ao corpo.

A única maneira de impedir este problema é absorvendo menos energia e queimando mais (menos energia que entra e mais energia que sai).

É aqui que entram as mudanças na dieta e no estilo de vida. Esta ainda é, sem dúvida, a melhor maneira de perder peso e mantê-lo fora.

No entanto, quando nosso corpo entra cai numa rotina por muito tempo, é muito difícil tirá-lo dela.

Muitas pessoas, mesmo depois de mudar sua dieta e adicionar mais exercício em sua rotina diária, encontram uma estagnação em sua perda de peso. Elas perdem muito peso no começo, mas enxugar aqueles últimos quilinhos parece quase impossível.

O problema está nos níveis de insulina.

Como a Insulina Previne a Perda de Peso

A insulina é um hormônio liberado pelo pâncreas. Sua função é transportar açúcar para as células, onde ele é então convertido em energia.

Ao longo de muitos anos comendo alimentos ricos em açúcar, os níveis de insulina aumentam gradualmente – chamamos isso de hiperinsulinemia.

Mesmo quando mudamos nossa dieta e estilo de vida, os níveis de insulina podem permanecer altos.

O importante a ser observado aqui é que, sempre que os níveis de insulina estiverem altos na corrente sanguínea, não conseguimos queimar gordura.

Isso acontece porque a insulina aumenta a captação de ácidos graxos, promove a síntese de lipídios e inibe a quebra de gordura. Tudo isso leva ao armazenamento de ainda mais energia.

É aí que entra o CBD.

CBD e Insulina

Em um grande estudo envolvendo quase 4700 pacientes com doença metabólica, o uso de CBD e maconha mostraram oferecer uma redução de 17% na insulina de jejum [4].

Isso é significativo porque, se conseguimos diminuir os níveis de insulina, fica muito mais fácil enxugar os últimos quilos restantes.

Estes efeitos também são extremamente valiosos para aqueles com obesidade, uma vez que ajuda a estabilizar os níveis de insulina e inicia o processo de reduzir o peso de volta a níveis saudáveis.

Esta é talvez a atividade mais benéfica proporcionada pelo óleo de CBD para a obesidade no longo prazo.

É importante lembrar que, embora o CBD seja considerado o principal canabinoide para produzir esses efeitos, ele funciona melhor em um extrato completo da planta do que nos isolados de CBD.

Nós sempre recomendamos usar um extrato de cânhamo de espectro completo de alta qualidade para sustentar os níveis de insulina e reduzir o peso.

3. Restringe o Apetite

Um dos principais fatores que leva à obesidade é o nosso apetite.

Nosso corpo evoluiu para viver em um ambiente onde a comida era difícil de encontrar, então precisávamos ter certeza de que armazenamos o suficiente para atravessar períodos em que a comida não estava disponível.

No mundo moderno, isso começou a funcionar contra nós.

Nossos apetites continuam altos, mas a comida está sempre prontamente disponível. Isso nos permite chegar até a obesidade muito facilmente.

Portanto, uma das melhores maneiras de reduzir o peso e aproximar-nos de uma faixa saudável é restringir nosso apetite tanto quanto pudermos.

O CBD é uma excelente ferramenta para alcançar isso.

Você pode estar pensando:

“Mas a maconha dá fome, ela nos deixa com larica”.

Isso é verdade, mas isso acontece devido ao THC, não ao CBD.

O uso de maconha psicoativa estimula o apetite; no entanto, os óleos de CBD que contêm apenas quantidades minúsculas de THC têm o efeito oposto.

O CBD é considerado um inibidor de apetite, enquanto o THC é considerado um estimulante de apetite.

Ele funciona ao melhorar a sensibilidade do hipotálamo, a região do cérebro responsável por controlar a maior parte da nossa homeostase, incluindo o apetite.

Ao comprar óleos de CBD para promover a perda de peso, lembre-se de comprar algo que inclui principalmente CBD e apenas pequenas quantidades de THC, para evitar causar o efeito oposto e aumentar a vontade de comer.

Como Usar o CBD para Perda de Peso

Agora que nós aprendemos como o CBD ajuda na perda de peso, vamos falar sobre como ele pode ser utilizado de forma eficaz.

Como mencionado, certifique-se de que está usando um extrato de cânhamo de espectro completo, em vez de um isolado de CBD ou algo que contenha quantidades elevadas de THC.

Depois de encontrar um bom óleo de CBD, é hora de descobrir a dose certa.

Nós recentemente fizemos um guia para dosar o óleo de CBD para te ajudar a descobrir a dose certa para começar.

A perda de peso não acontece da noite pro dia, não importa o que os comerciais da TV tenham te prometido.

O truque para a perda de peso bem sucedida é encará-la como uma mudança de estilo de vida no longo prazo. Não espere perder 10 quilos até a semana que vem, nem mesmo até a semana seguinte. Vá devagar e torne as mudanças permanentes.

Mudar sua dieta para algo com menos carboidratos refinados e alimentos processados, e com mais verduras, frutas e legumes vai ajudar muito na eliminação daqueles quilos extras.

Além disso, adicionar apenas 30 minutos de exercício leve a moderado a cada dia te ajudará a queimar energia não utilizada e obter a quebra de gordura.

O óleo de CBD deve ser tomado todos os dias para começar a condicionar o apetite e as mitocôndrias de volta a níveis saudáveis. A maioria dos usuários relatam cerca de 2 semanas de uso regular antes de realmente começarem a ver e sentir os benefícios do óleo de CBD em seu processo de perda de peso.

Referências

  1. Vemuri, V. K.; Janero, D. R.; e Makriyannis, A. (2008). Pharmacotherapeutic targeting of the endocannabinoid signaling system: drugs for obesity and the metabolic syndrome. Physiology & behavior, 93(4-5), 671-686.
  2. Ryan, D.; Drysdale, A. J.; Lafourcade, C.; Pertwee, R. G.; e Platt, B. (2009). Cannabidiol targets mitochondria to regulate intracellular Ca2+ levels. Journal of Neuroscience, 29(7), 2053-2063.
  3. Tedesco, L.; Valerio, A.; Dossena, M.; Cardile, A.; Ragni, M.; Pagano, C.; … e Nisoli, E. (2010). Cannabinoid receptor stimulation impairs mitochondrial biogenesis in mouse white adipose tissue, muscle, and liver: the role of eNOS, p38 MAPK, and AMPK pathways. Diabetes.
  4. Penner, E. A.; Buettner, H.; e Mittleman, M. A. (2013). The impact of marijuana use on glucose, insulin, and insulin resistance among US adults. The American journal of medicine, 126(7), 583-589.
  5. Morgan, C. J.; Freeman, T. P.; Schafer, G. L.; e Curran, H. V. (2010). Cannabidiol attenuates the appetitive effects of Δ 9-tetrahydrocannabinol in humans smoking their chosen cannabis. Neuropsychopharmacology, 35(9), 1879.

Condições que Podem Responder ao Canabidiol