Baseado em evidências

CBD e Condições de Pele: Pesquisa e Compreensão Atual

Graças à sua interação com o sistema endocanabinoide, o CBD talvez tenha a capacidade para auxiliar no tratamento de diversas condições de pele, dentre elas eczema, psoríase, acne e até câncer. Descubra aqui como isso funciona e aprenda a escolher o produto certo para a sua condição de pele.

Artigo escrito por
Justin Cooke , postado a 1 semana atrás

A pele é o maior órgão do corpo humano. Ela é encarregada de criar uma barreira entre nossos órgãos internos e o ambiente ao nosso redor, manter a temperatura corporal, armazenar nutrientes e produzir vitamina D.

Qualquer problema com a nossa pele pode comprometer essas funções cruciais.

O CBD (canabidiol) vem demonstrando um potencial para aliviar sintomas de doenças da pele como eczema, psoríase, dermatite, acne e, possivelmente, até câncer.

Neste artigo, vamos discutir o uso do CBD para várias condições de pele e oferecer algumas dicas sobre como maximizar seus benefícios. Também discutiremos a dosagem recomendada e como encontrar os melhores produtos tópicos de CBD para várias condições da pele.

Vamos começar?

  • Tabela de Conteúdo

Resumo: Usando o CBD para Condições de Pele

Existem muitas condições diferentes que podem afetar a pele, cada uma delas com suas próprias causas subjacentes. Muitas dessas condições envolvem disfunções nos processos inflamatórios projetados para proteger a pele e ajudá-la a se recuperar de danos ou infecções.

É aí que entra o CBD. 

O CBD (ou canabidiol), um composto ativo da planta de cannabis, pode ajudar a aliviar uma ampla gama de condições de pele graças à sua interação com o chamado sistema endocanabinoide (ou SEC).

Este sistema é composto por uma série de receptores abundantes na pele (e outras partes do corpo) encarregados de regular processos como crescimento e morte celular. Ele também está envolvido no controle da atividade de células do sistema imunológico quando estas respondem a ameaças.

Graças a sua interação com o SEC, o CBD pode ser utilizado para aprimorar o funcionamento do corpo, promovendo o balanceamento de funções como inflamação e irritação.

Sendo assim, o CBD apresenta o potencial para combater sintomas de condições de pele diversas, incluindo psoríase, eczema, dermatite alérgica, acne e até câncer. Quer saber mais? Então é só continuar lendo!

Benefícios do CBD para Condições de Pele

  • Diminui a viscosidade do sebo (óleo) nos poros, reduzindo a formação de acne;
  • Combate a resistência aos antibióticos durante infecções da pele;
  • Diminui a resposta inflamatória envolvida com a psoríase, o eczema e a dermatite alérgica;
  • Alivia um dos principais sintomas das condições de pele: a coceira.

Dicas Para Aproveitar o CBD ao Máximo

  1. Produtos tópicos de CBD que contêm outras ervas e óleos, como o de semente de cânhamo, oferecem benefícios adicionais e outros componentes nutricionais para promover a saúde e o bem-estar da pele;
  2. Prefira produtos tópicos que contêm concentrações altas de CBD;
  3. Evite produtos de baixa qualidade para reduzir as chances de colocar substâncias químicas prejudiciais ou irritantes na pele;
  4. Se for utilizar o CBD internamente, não se esqueça de consultar o seu médico antes (especialmente se você estiver tomando outros medicamentos).

Tipos de Condições de Pele e Usos Potenciais do CBD

As condições de pele podem variar muito dependendo da causa e da parte da pele que é afetada.

Aqui, vamos falar sobre os principais tipos de condições de pele para as quais o CBD demonstrou algum potencial terapêutico e discutir algumas das maneiras como o CBD pode ser usado para se obter os melhores efeitos.

1. Acne

A quantidade de sebo que nossa pele produz depende de certos fatores, como nossos genes e o ambiente ao nosso redor. Mas independentemente do motivo, se a produção de sebo é muito alta, aumentam as chances de nossos poros ficarem obstruídos.

Os poros entupidos são o ambiente perfeito para o crescimento de bactérias, que se multiplicam em excesso e infectam o tecido. Assim surgem as protuberâncias vermelhas e inflamadas comumente conhecidas como acne.

Como o CBD pode ajudar

Como a acne é uma combinação de infecção bacteriana leve e reação inflamatória do próprio corpo, os principais tratamentos para esta condição são geralmente de natureza antibacteriana e anti-inflamatória.

Embora o CBD possa prevenir a resistência a antibióticos em bactérias, ele não é considerado antibacteriano por conta própria. Por este motivo, se você for usar tópicos de CBD para controlar a acne, é melhor encontrar produtos que também contenham alguns compostos antibacterianos.

Os efeitos anti-inflamatórios do CBD, por outro lado, são bem conhecidos quando se trata de acne. Para melhores resultados, é uma boa ideia usar o CBD tópico para acne leve e, para acne mais grave, uma combinação de CBD interno e produtos tópicos.

2. Eczema

O eczema é caracterizado por manchas vermelhas e inflamadas que causam coceira na pele. Estas manchas podem vir acompanhadas de pequenas bolhas de água em casos mais moderados ou engrossamento da pele e formação de crostas. Os sintomas podem variar de desconforto leve a coceira intensa e dor ardente.

O eczema pode ir e vir, e muitas vezes migra para diferentes áreas da pele. Em muitas pessoas, quando uma mancha desaparece, outra se forma em outra parte do corpo.

Existem vários tipos diferentes de eczema:

  • Dermatite atópica
  • Dermatite de contato
  • Dermatite seborreica
  • Eczema varicoso
  • Eczema discoide

Como o CBD pode ajudar

O eczema é, acima de tudo, uma condição inflamatória da pele – algo que o CBD e alguns dos outros canabinoides proeminentes são especialmente bons em corrigir. Estudos comprovaram que tanto o CBD de uso tópico [13] quanto o CBD de uso interno exercem um poderoso efeito anti-inflamatório na pele e nos órgãos internos.

3. Psoríase

A psoríase é uma doença bastante comum e cujo principal sintoma é o aparecimento de manchas vermelhas e escamosas na pele.

Assim como o eczema, ela é cíclica (vai e volta com o tempo) e pode atingir várias partes do corpo. A psoríase é uma condição autoimune que, apesar de não ter cura, não é contagiosa.

Ela está relacionada com diversas condições mais graves, como artrite ou problemas de fígado.

Como o CBD pode ajudar

Uma das principais causas dos sintomas da psoríase é a proliferação excessiva de queratinócitos, células especiais responsáveis pela produção de queratina (a proteína que protege nossa pele e impede que ela perca água).

Com o excesso de queratinócitos, há também o excesso de queratina, que deixa a pele grossa, escamosa e com crostas. Pesquisas mostraram que o CBD pode inibir a proliferação de queratinócitos e reduzir a progressão da psoríase [3].

4. Infecção

Vírus, bactérias, fungos e outros parasitas podem infectar a pele, causando dor, inflamação e destruição do tecido.

Exemplos de condições infecciosas da pele:

  • Impetigo (bactéria)
  • Sarna (ácaro)
  • Cândida (fungo)
  • Micose (fungo)
  • Herpes (vírus)
  • Catapora (vírus)

Como CBD pode ajudar

O CBD é apenas levemente eficaz na redução de infecções da pele, mas é ótimo em combinação com antibacterianos tópicos para apoiar o processo de cicatrização e reduzir a inflamação e irritação da pele.

5. Dermatite Alérgica

A dermatite alérgica, como o próprio nome diz, é uma reação alérgica na pele. Ela envolve uma superativação das células do sistema imune na área, provocando dor, inflamação e vermelhidão. Os cientistas muitas vezes se referem a isso como uma “perda de tolerância imunológica” – isso significa que as células imunes são incapazes de lidar eficazmente com um alérgeno ou exibem uma reação exagerada à situação, causando novos problemas para a pele.

A condição afeta cerca de 5% dos homens e 11% das mulheres nos países industrializados [5].

Como o CBD pode ajudar

Existe uma quantidade surpreendente de pesquisas envolvendo o uso de CBD e outros canabinoides para dermatite alérgica. Os resultados são promissores.

Uma pesquisas recente mostrou que o sistema endocanabinoide desempenha um papel protetor na inflamação alérgica da pele [5]. Este estudo analisou a expressão de endocanabinoides na pele após exposição a alérgenos e descobriu que a atividade dos endocanabinoides aumenta durante uma reação alérgica, sugerindo que este sistema está envolvido na regulação do processo.

Outros estudos confirmaram este efeito através de experimentos similares [6] e outros estudos ainda demonstraram que, quando o sistema endocanabinoide é bloqueado, os sintomas da dermatite alérgica são exacerbados – evidenciando a importância desse sistema na saúde da pele.

O CBD oferece um efeito de suporte ao SEC ao inibir a quebra de endocanabinoides como 2-AG e anandamida.

Descobriu-se também que o CBD bloqueia o recrutamento de células imunitárias mieloides, que promovem a inflamação, ao diminuir a produção de IFN-γ pelas células T e a produção de quimiocinas CCL2, CCL8 e CXL10 pelos queratinócitos [9].

Outros canabinoides, como CBG e THC, também demonstraram oferecer benefícios contra a dermatite alérgica [12].

6. Câncer de Pele

O câncer de pele é uma neoplasia maligna causada por danos ao DNA das células que compõem a pele, levando a um crescimento descontrolado, perda de função das células afetadas e, possivelmente, migração para outras partes do corpo (metástase). Existem alguns tipos diferentes de neoplasias de pele, cada um com seu próprio nível de risco.

Algumas neoplasias da pele incluem:

  • Queratose actínica
  • Carcinoma basocelular
  • Melanoma
  • Carcinoma de células de Merkel
  • Carcinoma de células escamosas

Como CBD pode ajudar

Muitos dos canabinoides na planta de cannabis têm seu próprio conjunto de propriedades anticancerígenas. Parece que eles funcionam principalmente causando um tipo de estresse que acaba matando as células cancerosas, sem causar muito dano às nossas células saudáveis.

As pesquisas a respeito dos efeitos dos canabinoides sobre o câncer estão em seus anos iniciais e ainda têm muito a descobrir, mas a maioria delas utilizam doses altas de CBD.

Portanto, para seguir os achados destas pesquisas com precisão, precisamos usar doses altas de canabinoides na pele também. Isso significa que somente óleos de potência ultra alta ou resina de cannabis pura devem ser usados.

Como Usar o CBD para Condições de Pele

Receptores endocanabinoides (CB1 e CB2) foram encontrados nos folículos pilosos [1] e glândulas sebáceas na pele [2]. Entende-se que o sistema endocanabinoide pode regular o crescimento e a sobrevivência das células da pele, bem como a atividade do sistema imune na região.

Segundo estudos, quando o sistema endocanabinoide não está funcionando direito, isso pode resultar em condições de pele como eczema e psoríase [7]. Portanto, é razoável sugerir que tomar canabinoides como o CBD (que previne a quebra dos canabinoides naturais do corpo) será benéfico para as condições de pele relacionadas aos baixos níveis de endocanabinoides.

Já existem todos os tipos de produtos de CBD para cuidados com a pele no mercado – desde séruns para a região dos olhos e cremes faciais, até formulações específicas para eczema ou psoríase.

Embora muitos desses produtos tenham fórmulas inteligentes e contenham concentrações altas de canabinoides, há também muitos que não contêm CBD suficiente para produzir qualquer efeito terapêutico.

Como Encontrar os Melhores Tópicos de CBD Para a Pele

Com tantas opções disponíveis no mercado – todas elas reivindicando ser a melhor – pode ser difícil encontrar os melhores produtos tópicos de CBD para a sua condição de pele. 

A verdade é que nem todos os tópicos de CBD são úteis. Existe uma quantidade enorme de produtos que usam cânhamo de baixa qualidade, aditivos prejudiciais e, como mencionamos acima, concentrações tão pequenas de canabinoides que é improvável que proporcionem qualquer benefício.

Aqui estão três elementos-chave a se levar em consideração na hora de comprar produtos tópicos de CBD.

1. Procure Produtos Feitos com Cânhamo Orgânico de Origem Confiável

A última coisa que você quer fazer ao tratar um problema de pele é colocar um creme de CBD contaminado na região afetada, o que pode piorar a situação em vez de ajudar.

O cânhamo é um bioacumulator, o que significa que ele absorve elementos do solo em que é cultivado. Isso inclui compostos nocivos como arsênio, chumbo, cádmio e mercúrio – todos metais pesados que irritam a pele e podem agravar seus sintomas.

Além disso, o cânhamo não orgânico é frequentemente pulverizado com pesticidas durante a estação de crescimento. Muitas pessoas são alérgicas a compostos desses pesticidas, o que aumenta a inflamação e os eventuais danos ao tecido.

É por isso que sempre recomendamos usar tópicos de CBD que foram feitos com cânhamo orgânico certificado. Para ser classificado como orgânico, o produtor não pode usar pesticidas e seu solo deve ser checado regularmente quanto a contaminantes.

Também é importante usar cânhamo que foi cultivado em locais confiáveis, como certos estados americanos ou países do norte da Europa. O cânhamo cultivado na China e na Índia, por exemplo, são notórios por seu alto nível de contaminação com metais pesados, organofosforados e mofo.

2. Procure Tópicos de Potência Alta

O CBD tem muitos benefícios para oferecer à pele, não há dúvidas sobre isso. Mas existe uma dose mínima necessária para que esses efeitos ocorram. Como mencionamos acima, algumas empresas colocam quantidades mínimas de CBD e outros canabinoides em seus tópicos e, ainda assim, os anunciam para os mesmos usos que os tópico de CBD de potência alta.

Esse passo é mais difícil de avaliar, já que não se sabe exatamente qual potência oferece o maior nível de benefício para cada condição.

Dito isso, nós recomendamos que você escolha um produto com pelo menos 100 mg de CBD por 30 ml – ou 3,33 mg por ml.

Para descobrir esse valor, é só pegar a quantidade total de CBD do produto (em mg) e dividir pelo volume total do frasco (em ml).

3. Prefira Fórmulas com Ingredientes Adicionais

Quando o assunto é tratar de doenças da pele, o CBD funciona ainda melhor se combinado com outros ingredientes benéficos. As melhores fórmulas tópicas terão outras substâncias, escolhidas especificamente para a condição que o produto pretende adereçar.

Quando a fórmula é bem pensada, os compostos trabalham em sinergia, produzindo benefícios muito maiores em combinação do que a simples soma dos ingredientes sozinhos.

Se a fórmula foi projetada para tratar a psoríase, por exemplo, outros anti-inflamatórios naturais – como olíbano, samambaia ou açafrão – são adições excelentes que oferecem mecanismos de apoio diferentes. Esses produtos serão muito mais eficazes no tratamento do problema do que apenas CBD.

Ingredientes herbais úteis:

  • Calêndula (Calendula officinalis)
  • Olíbano (Boswellia serrata)
  • Açafrão (Curcuma longa)
  • Samambaia (Polypodium leucotomos)
  • Morugem (Stellaria media)
  • Camomila (Matricaria recutita)
  • Lavanda (Lavandula angustifolia)
  • Malvarisco (Althaea officinalis)
  • Gotu Kola (Centella asiatica)
  • Arnica (Arnica montana)
  • Babosa (Aloe vera)

Outros ingredientes úteis:

  • Lanolina
  • Glicerina vegetal
  • Vitamina A
  • Vitamina C
  • Vitamina E
  • Extrato de semente de uva
  • Óleo de rosa mosqueta
  • Cafeína
  • Mentol
  • Magnésio

Conclusão: Usando o CBD para Condições da Pele

O CBD é um ótimo suplemento e opção de tratamento tópico para uma variedade de condições de pele comuns. A maioria dos seus benefícios é o resultado de seus efeitos anti-inflamatórios e analgésicos.

Para condições de pele mais sérias, como eczema, psoríase e acne comprovadamente difícil de tratar, é recomendável que você use o CBD tanto tópica quanto internamente, e escolha produtos tópicos especificamente desenvolvidos para tratar a condição de pele específica.

Para condições de pele mais leves, talvez só o CBD tópico seja o suficiente – e um tópico generalista provavelmente dará conta do recado.

Sempre opte por produtos de alta qualidade, feitos de cânhamo orgânico certificado e de origem confiável. Também recomendamos procurar produtos com pelo menos 3,33 mg de CBD para cada ml de produto.

E não se esqueça: se você tem qualquer problema de pele, não deixe de conversar com um médico ou outro profissional da saúde qualificado para receber as orientações e tratamentos adequados ao seu caso.


Referências

  1. Telek, A.; Bíró, T.; Bodó, E.; Tóth, B. I.; Borbíró, I.; Kunos, G.; e Paus, R. (2007). Inhibition of human hair follicle growth by endo-and exocannabinoids. The FASEB Journal, 21 (13), 3534-3541.
  2. Dobrosi, N.; Tóth, B. I.; Nagy, G.; Dózsa, A.; Géczy, T.; Nagy, L.; … e Bíró, T. (2008). Endocannabinoids enhance lipid synthesis and apoptosis of human sebocytes via cannabinoid receptor-2-mediated signaling. The FASEB Journal, 22 (10), 3685-3695.
  3. Wilkinson, J. D.; e Williamson, E. M. (2007). Cannabinoids inhibit human keratinocyte proliferation through a non-CB1/CB2 mechanism and have a potential therapeutic value in the treatment of psoriasis. Journal of dermatological science, 45 (2), 87-92.
  4. Bíró, T.; Tóth, B. I.; Haskó, G.; Paus, R.; e Pacher, P. (2009). The endocannabinoid system of the skin in health and disease: novel perspectives and therapeutic opportunities. Trends in pharmacological sciences, 30 (8), 411-420.
  5. Karsak, M.; Gaffal, E.; Date, R.; Wang-Eckhardt, L.; Rehnelt, J.; Petrosino, S.; … e Mechoulam, R. (2007). Attenuation of allergic contact dermatitis through the endocannabinoid system. Science, 316 (5830), 1494-1497.
  6. Oka, S.; Wakui, J.; Ikeda, S.; Yanagimoto, S.; Kishimoto, S.; Gokoh, M.; … e Sugiura, T. (2006). Involvement of the cannabinoid CB2 receptor and its endogenous ligand 2-arachidonoylglycerol in oxazolone-induced contact dermatitis in mice. The Journal of Immunology, 177 (12), 8796-8805.
  7. Akhmetshina, A.; Dees, C.; Busch, N.; Beer, J.; Sarter, K.; Zwerina, J.; … e Distler, J. H. (2009). The cannabinoid receptor CB2 exerts antifibrotic effects in experimental dermal fibrosis. Arthritis & Rheumatism: Official Journal of the American College of Rheumatology, 60 (4), 1129-1136.
  8. Pucci, M.; Rapino, C.; Di Francesco, A.; Dainese, E.; D’addario, C.; e Maccarrone, M. (2013). Epigenetic control of skin differentiation genes by phytocannabinoids. British journal of pharmacology, 170 (3), 581-591.
  9. Gaffal, E.; Cron, M.; Glodde, N.; e Tüting, T. (2013). Anti‐inflammatory activity of topical THC in DNFB‐mediated mouse allergic contact dermatitis independent of CB 1 and CB 2 receptors. Allergy, 68 (8), 994-1000.
  10. Gaffal, E.; Glodde, N.; Jakobs, M.; Bald, T.; e Tüting, T. (2014). Cannabinoid 1 receptors in keratinocytes attenuate fluorescein isothiocyanate‐induced mouse atopic‐like dermatitis. Experimental dermatology, 23 (6), 401-406.
  11. Nam, G.; Jeong, S. K.; Park, B. M.; Lee, S. H.; Kim, H. J.; Hong, S. P.; … e Kim, B. W. (2016). Selective cannabinoid receptor-1 agonists regulate mast cell activation in an oxazolone-induced atopic dermatitis model. Annals of dermatology, 28 (1), 22-29.
  12. Mounessa, J. S.; Siegel, J. A..; Dunnick, C. A.; e Dellavalle, R. P. (2017). The role of cannabinoids in dermatology. Journal of the American Academy of Dermatology, 77 (1), 188-190.
  13. Lodzki, M.; Godin, B.; Rakou, L.; Mechoulam, R.; Gallily, R.; e Touitou, E. (2003). Cannabidiol – transdermal delivery and anti-inflammatory effect in a murine model. Journal of controlled release, 93 (3), 377-387.
  14. Nagarkatti, P.; Pandey, R.; Rieder, S. A.; Hegde, V. L.; e Nagarkatti, M. (2009). Cannabinoids as novel anti-inflammatory drugs. Future medicinal chemistry, 1 (7), 1333-1349.

Condições que Podem Responder ao Canabidiol