Baseado em evidências

CBD e Ioga: Redescubra os Benefícios Desta Antiga Dupla

O CBD é uma das tendências mais populares de 2019 – e ele pode transformar também sua prática de ioga. Aprenda como em nosso artigo completo!

Artigo escrito por
Thomas Wrona , postado a 4 semanas atrás

  • Tabela de Conteúdo

CBD e ioga – esta é uma combinação surpreendentemente antiga que, só agora, está fazendo seu retorno.

No caso da ioga, as notícias da prática se espalharam de boca em boca vindas de ascetas, iogues e de seus textos sagrados, como os Vedas e o Ioga Sutra.

Desta vez, no entanto, a ioga alimentada por CBD vem ganhando o apoio das mídias sociais, das tendências do Google e de um verdadeiro exército de entusiastas da saúde. Felizmente, eles podem ter alguma razão.

Embora a prática da ioga seja quase tão antiga quanto a própria sociedade, sua base biológica permaneceu praticamente inalterada. A ioga ainda promove a consciência e a paz interiores, da mesma maneira que sempre fez – mas, com os avanços científicos modernos, descobriu-se outros benefícios tangíveis que a ioga tem a oferecer para nosso corpo.

Alguns deles se relacionam com os benefícios do CBD e o sistema através do qual ele atua – o sistema endocanabinoide (SEC).

Se formos parar para pensar a respeito, há várias sobreposições entre os efeitos do CBD e da ioga – o que faz destes dois um par perfeito. Abaixo estão apenas algumas das maneiras pelas quais o CBD poderia beneficiar os iogues de todos os níveis:

  1. Aumento da flexibilidade
  2. Melhor conexão entre mente e corpo
  3. Aumento do foco
  4. Redução da inflamação
  5. Diminuição da dor

Neste artigo, vamos explorar a interação entre a antiga prática da ioga e o suplemento mais popular do momento – o CBD. Nós até abordaremos algumas pesquisas novas que sugerem uma conexão entre os dois muito mais profunda do que você esperaria.

Aumento da Flexibilidade

Embora a prática da ioga nos ensine a dizer não! para distrações e demandas externas, os próprios exercícios de ioga podem ser fisicamente exigentes. Eles colocam uma carga sobre músculos, tendões e ligamentos, principalmente se feitos incorretamente.

Mesmo a transição mais suave para a ioga exige que o corpo responda com flexibilidade, fluidez e elasticidade cada vez maiores. A ioga também requer um bom equilíbrio, que por sua vez exige um alto nível de propriocepção – a consciência do posicionamento do próprio corpo. E há por fim o alongamento inerente à ioga, é claro, que pode ser igualmente intenso.

Parece que a transcendência mental do ambiente exige também uma bela dose de transcendência física!

No entanto, foi demonstrado que o alongamento realmente ativa os receptores endocanabinoides nos músculos e na fáscia.  Mais ativação dos receptores pode permitir um maior envolvimento dos canabinoides [1], o que, por sua vez, traz diversos benefícios como:

  • Relaxamento do tecido muscular;
  • Alívio de dores;
  • Diminuição da inflamação;
  • Aumento da diferenciação de células satélites, que promovem uma recuperação mais rápida;
  • Apoio à síntese de proteínas através da redução de cortisol.

Melhor Conexão Entre Mente e Corpo

O CBD talvez permita que você se adapte melhor à ioga ao melhorar também a conexão mente-corpo.  Afinal, alguns pesquisadores já chamaram nossos endocanabinoides de “uma ponte literal entre corpo e mente”.

E embora a ideia de que um corpo impulsionado pelo CBD possa preencher melhor a lacuna entre consciência e movimento possa parecer mais mística que científica, existe um pouco de verdade nessa afirmativa.

De fato, um estudo feito pelo Intercontinental Neuroscience Research Group teorizou que o sistema endocanabinoide contribui para a própria consciência humana, como evidenciado por seu envolvimento em coisas tão diversas quanto TEPT, níveis emocionais e estados de sonho [4].

Essa é a profundidade da função endocanabinoide – até os principais pesquisadores do mundo as vezes a descrevem com conceitos amplos, como consciência e fluidez emocional.

Parte da conexão mente-corpo remonta a um dos princípios centrais da ioga – esvaziar a mente. Um estudo de 1979 concorda: “A ioga Hatha acalma a mente a ponto de o indivíduo estar ciente apenas do ‘aqui e agora’ [que] inclui uma consciência de condições corporais sutis”. [5]

O CBD pode desempenhar um papel igualmente importante nessa área. Muitos usuários relatam se sentirem mais concentrados e intuitivos quando usam este suplemento.

Talvez o melhor de tudo seja que, normalmente, não é preciso muito CBD para se ver melhorias no foco e no humor. O Dr. Dustin Sulak e muitos outros especialistas em canabinoides relataram que seus pacientes melhoram com apenas alguns miligramas de canabinoides por dia!

Isso equivale a cerca de meio conta-gotas do seu óleo CBD médio.

De uma perspectiva homeopática, acredita-se que microdosar compostos fitoterápicos pode estimular mudanças muito maiores em nossa fisiologia. Definitivamente, este parece ser o caso do CBD.

Aumento do Foco

É claro que a ioga não se resume apenas a uma sintonia com o corpo. Isso é só metade da equação, uma vez que melhorar sua consciência interna depende do silenciamento de distrações e inverdades externas.

Em um sentido muito real, a ioga exige que seus praticantes reivindiquem completamente suas mentes. A conta telefônica de hoje, o prazo de trabalho de amanhã, as compras do mês? Esqueça-os, fique livre deles – mesmo que somente pelos próximos 10 minutos.

Mas esse tipo de esquecimento é mais difícil do que nunca. Parece que todos nós caímos na atração gravitacional dos dispositivos móveis e das mídias sociais, um planeta no qual o narcisismo e a hiperestimulação são a norma. Uma atração que antes era confinada a uma ou duas horas por dia (pense nos noticiários, que costumavam ser diários) agora nos tem sob controle o tempo todo.

De fato, o americano médio verifica seu telefone quase cem vezes por dia; se forçados a ficar sem o dispositivo, eles geralmente sentem ansiedade, inquietação e outros comportamentos de drogaditos.

Não é loucura pensar nisso como um verdadeiro vício, sendo que a “abstinência” pode afetar negativamente todo tipo de coisa, incluindo nossa capacidade de focar no trabalho, de nutrir relacionamentos reais… e de esvaziar a mente durante a ioga.

Aqui está outro conceito aparentemente enigmático – será que o CBD poderia ajudar nossa cultura a viver melhor no agora? Talvez até mudar a química do nosso cérebro para que possamos nos concentrar mais no momento presente?

Pesquisas iniciais demonstraram que este canabinoide está intimamente relacionado com neurotransmissores essenciais como a serotonina [11] e a dopamina [12] – ambos os quais desempenham um papel importante na nossa capacidade de manter a concentração. Isso poderia explicar porque alguns usuários relatam que o CBD melhora sua aprendizagem e atenção.

Os especialistas em cannabis também estão apoiando essa ideia. O biólogo molecular Dr. Bob Melamede diz que os canabinoides expandem a periodicidade de cada momento – essa é a quantidade de “instantâneos” de percepção que nosso cérebro pode processar em uma dada unidade de tempo.

Instantâneos mais frequentes significam que cada momento dura mais, de uma perspectiva relativa. Se uma pessoa consegue prestar mais atenção em sua vida, talvez cada um de seus momentos possa ser mais bem aproveitado – certo?

Mais uma vez, enigmático. Mas teorizado por uma das mentes mais brilhantes no mundo da pesquisa em endocanabinoides.

Se você estiver pronto para desacelerar, experimentar a vida ao máximo e aproveitar cada momento, considere a ioga! Se você acha difícil combater as distrações diárias e gostaria de uma ajudinha com sua prática de ioga, considere o CBD!

Redução da Inflamação

Inflamação. Todos sabemos o quanto ela é ruim, como todos estamos cronicamente inflamados e como isso não é bom para a nossa saúde geral ou para os nossos níveis de dor, etc. É uma epidemia!

Na verdade, não é tão simples assim.

Um pouco de inflamação é bom, especialmente quando ela é utilizada para sinalizar ao sistema imunológico que uma pequena assistência extra é necessária. A inflamação inicia uma cascata de respostas químicas que, quando funciona corretamente, permite que as áreas afetadas se recuperem adequadamente e cicatrizem.

A inflamação, como qualquer outra coisa que o corpo faz naturalmente, pode ser uma coisa muito bonita.

No entanto, a epidemia inflamatória da nossa cultura é qualquer coisa menos natural. A inflamação tem como objetivo nos ajudar a recuperar após ferimentos ocasionais – e não agir como um amortecedor contra os riscos à saúde causados pelo estilo de vida moderno.

Pior ainda, muitas pessoas combatem esse estado antinatural com soluções anormalmente fortes, como medicamentos opioides ou anti-inflamatórios não esteroides. Nada bom – pelo menos não de uma perspectiva evolutiva.

A incompatibilidade entre o estado natural do nosso corpo e seu ambiente artificial exige uma solução holística. Felizmente, foi demonstrado que a prática de ioga diminui os níveis de inflamação crônica [13], principalmente se feita regularmente.

Como o blog de saúde da Universidade de Harvard relata: “um estudo exploratório publicado na Oxidative Medicine and Cellular Longevity [descobriu] que 12 semanas de ioga retardaram o envelhecimento celular”, uma consequência (acredita-se) da inflamação crônica, como relata o National Institute of Ageing.

Outro estudo esclarecedor, intitulado Yoga, Meditation and Mind-Body Health, descobriu que a ioga estava correlacionada com uma função cerebral melhorada (aumentando algo chamado fator neurotrófico derivado do cérebro) e humor melhor pela manhã [6]. Os sujeitos também pareciam lidar melhor com os estressores diários de suas vidas, como revelado pelos níveis mais baixos de hormônios do estresse, como o cortisol.

Finalmente, a ioga também reduziu os marcadores inflamatórios dos sujeitos, como seus níveis de citocinas, que são conhecidos por causar dor. Não é de admirar que os iogues possam afirmar com sinceridade o seguinte:

“A ioga é o processo de eliminar a dor – a dor do corpo, da mente e da sociedade.” (Amit Ray, no livro Yoga The Science of Well-Being)

Mas se você estiver sentindo níveis de inflamação ou dor que o desencorajam de praticar ioga para início de conversa, seu corpo pode precisar de uma ajudinha extra. É aí que entra o CBD.

O CBD é um anti-inflamatório de espectro amplo. Já foi demonstrado várias vezes que ele reduz a inflamação nas áreas onde o alívio é mais necessário:

  • No cérebro
  • Em áreas doloridas
  • Nas articulações e tendões
  • Em músculos cansados ​​e doloridos

Diminuição da Dor

Talvez você já saiba disso, mas as atividades físicas em geral aumentam os níveis de endocanabinoides do nosso corpo, como a anandamida. Acredita-se que isso contribua para sensações como o runner’s high [14] e também que desempenhe um papel importante nos benefícios de regulação do humor do sistema endocanabinoide [15].

Aliás, os efeitos do CBD sobre o humor vão muito mais longe. Este fitocanabinoide também é considerado um endovaniloide, modulando os receptores vaniloides pelo corpo [8,9].

Mas o que isso significa exatamente?

Os receptores vaniloides sentem dor e ajudam a regular a temperatura do corpo – dois elementos críticos da experiência humana. Nosso corpo utiliza a dor para avaliar possíveis riscos, nos dizendo quando estamos exagerando na prática de ioga ou quando estamos nos posicionando de maneira incorreta. Afinal, a ioga pode ser desconfortável, mas ela não deve doer.

Com a dor e o humor controlados, nossa prática pode ser muito mais proveitosa.

Considerações Finais

Melhorar a saúde de mente, espírito e corpo é o objetivo de muitas pessoas que praticam a ioga. Seja você um iniciante ou um verdadeiro mestre da arte antiga, tomar o CBD pode ajudar a trazer sua consciência interior para um nível totalmente novo.

O CBD não é uma panaceia e há muitos outros fatores que você deve considerar para aproveitar ao máximo a sua prática diária de ioga – mas ele pode sim ser uma ferramenta útil para te ajudar a estar mais disposto e mais conectado.

Os efeitos do CBD são muitos, mas, no caso da ioga, os mais relevantes são o aumento da conexão entre mente e corpo através do SEC, a promoção da flexibilidade, a redução da inflamação e da dor, e o aumento de foco e concentração durante sua prática.

Você já tentou incorporar o CBD à sua prática de ioga? Compartilhe suas experiências nos comentários abaixo.

Referências

  1. McPartland, J. M. (2008). Expression of the endocannabinoid system in fibroblasts and myofascial tissues. Journal of bodywork and movement therapies, 12 (2), 169-182.
  2. Marcella, P. et al. (2018). Endocannabinoid‐related compounds in gastrointestinal diseases. Journal of cellular and molecular medicine, 22 (2): 706–715.
  3. Alger, B. E. (2018). Getting High on Endocannabinoid System. Cerebrum.  2013: 14.
  4. Murillo-Rodriguez, E. et al. (2017). The Endocannabinoid System Modulating Levels of Consciousness, Emotions and Likely Dream Contents. CNS & neurological disorders drug targets, 16 (4):370-379
  5. Walsh-Martin, D. E. (1979). The effects of Hatha yoga on self awareness. Theses Digitization Project. 117.
  6. Cahn, B. R.; Goodman, M. S.; Peterson, C. T.; Maturi, R.; e Mills, P. J. (2017). Yoga, Meditation and Mind-Body Health: Increased BDNF, Cortisol Awakening Response, and Altered Inflammatory Marker Expression after a 3-Month Yoga and Meditation Retreat. Frontiers in human neuroscience, 11, 315.
  7. Elliott, D.M.; Singh, N.; Nagarkatti, M.; Nagarkatti, P.S. (2018) Cannabidiol Attenuates Experimental Autoimmune Encephalomyelitis Model of Multiple Sclerosis Through Induction of Myeloid-Derived Suppressor Cells. Front. Immunol. 9:1782.
  8. Starowicz, K.; Nigam, S.; Di Marzo, V. (2007) Biochemistry and pharmacology of endovanilloids. Pharmacol Therapy, 114 (1):13-33.
  9. Costa, B.; Giagnoni, G.; Franke, C.; Trovato, A. E.; e Colleoni, M. (2004). Vanilloid TRPV1 receptor mediates the antihyperalgesic effect of the nonpsychoactive cannabinoid, cannabidiol, in a rat model of acute inflammation. British journal of pharmacology, 143 (2), 247–250.
  10. Caterina, M. J.; e Pang, Z. (2016). TRP Channels in Skin Biology and Pathophysiology. Pharmaceuticals (Basel, Switzerland), 9 (4), 77.
  11. Russo, E. B.; Burnett, A.; Hall, B.; e Parker, K. K. (2005). Agonistic properties of cannabidiol at 5-HT1a receptors. Neurochemical research, 30 (8), 1037-1043.
  12. French, E. D.; Dillon, K.; e Wu, X. (1997). Cannabinoids excite dopamine neurons in the ventral tegmentum and substantia nigra. Neuroreport, 8 (3), 649-652.
  13. Yadav, R. K.; Magan, D.; Mehta, N.; Sharma, R.; e Mahapatra, S. C. (2012). Efficacy of a short-term yoga-based lifestyle intervention in reducing stress and inflammation: preliminary results. The journal of alternative and complementary medicine, 18 (7), 662-667.
  14. Sparling, P. B.; Giuffrida, A.; Piomelli, D.; Rosskopf, L.; e Dietrich, A. (2003). Exercise activates the endocannabinoid system. Neuroreport, 14 (17), 2209-2211.
  15. Gobbi, G.; Bambico, F. R.; Mangieri, R.; Bortolato, M.; Campolongo, P.; Solinas, M.; … e Tontini, A. (2005). Antidepressant-like activity and modulation of brain monoaminergic transmission by blockade of anandamide hydrolysis. Proceedings of the National Academy of Sciences, 102 (51), 18620-18625.
  16. Elmes, M. W.; Kaczocha, M.; Berger, W. T.; Leung, K.; Ralph, B. P.; Wang, L.; … & Deutsch, D. G. (2015). Fatty acid-binding proteins (FABPs) are intracellular carriers for Δ9-tetrahydrocannabinol (THC) and cannabidiol (CBD). Journal of Biological Chemistry, 290 (14), 8711-8721.
  17. Premkumar, L. S. (2001). Interaction between vanilloid receptors and purinergic metabotropic receptors: pain perception and beyond. Proceedings of the National Academy of Sciences, 98 (12), 6537-6539.

Mais Artigos

Mais Artigos