Baseado em evidências

Cinco Suplementos que Você Deve Tomar com seu CBD

O CBD tem muito a oferecer, mas por que parar aí? Quando o CBD deixa a desejar, outros suplementos dão conta do recado. Conheça cinco deles aqui!

Artigo escrito por
Justin Cooke , postado a 2 semanas atrás

  • Tabela de Conteúdo

O Canabidiol (CBD) está rapidamente se tornando um dos suplementos nutricionais mais populares do mercado. Ele é altamente reverenciado por sua capacidade de regular a homeostase metabólica, imunológica e neurológica – uma palavra sofisticada que significa “equilíbrio”.

As condições negativas de saúde podem ser atribuídas a um desequilíbrio de um ou outro sistema, e assim, sugere-se que o CBD ofereça uma ampla gama de benefícios para a saúde de todo o corpo.

Embora o CBD tenha muitos usos, combiná-lo com outros suplementos sinérgicos nutricionais e fitoterápicos pode otimizar seus efeitos.

Neste artigo, vamos destacar porque você deve combinar o CBD com outros suplementos e quais deles você deve considerar dependendo dos seus sintomas.

Vamos começar discutindo exatamente por que você não deve depender apenas do CBD para controlar seus sintomas.

Por Que Você Deve Combinar o CBD com Outros Suplementos

O uso do CBD como uma forma de medicina não é um conceito novo. As pessoas o usam há séculos para tratar de tudo, desde dor e inflamação até declínio cognitivo relacionado à idade.

No entanto, as pessoas raramente usam a cannabis sozinha enquanto tratamento.

Em todas as formas de fitoterapia, as plantas são combinadas para melhorar seus efeitos com base nos sintomas apresentados.

Esta é uma prática comum na medicina fitoterápica, até mesmo no mundo moderno.

Somente na era moderna, os profissionais de saúde começaram adotar uma abordagem mais reducionista da medicina. Em vez de combinar várias ervas ou medicamentos para alavancar seus pontos fortes e fracos, um único composto é prescrito.

Usar um único composto (farmacêutico) tem vantagens durante a etapa de pesquisa porque é mais fácil ver qual composto é responsável por cada resultado. Medicamentos compostos, por outro lado, são muito mais difíceis de se estudar porque se torna um desafio identificar exatamente o efeito que cada componente produz.

A maioria das pessoas, porém, não está preocupada em saber exatamente qual composto está produzindo a maior parte dos efeitos – elas só querem se sentir melhor.

De longe, a melhor maneira de alavancar os suplementos de saúde é através de formulações inteligentes. Isso significa tomar de 2 a 5 suplementos que funcionam bem juntos para produzir um benefício geral mais significativo.

Por exemplo, digamos que você esteja tomando CBD para dores nas articulações – uma aplicação comum do composto. Você poderia parar por aí e deixar o CBD fazer seu trabalho sozinho, mas isso teria limitações.

O CBD ajuda a bloquear a dor e diminuir a inflamação – ambos são causas comuns da dor associada à condição.

Entretanto, o que acontece se a causa da dor é uma perda de tecido cartilaginoso? O CBD não vai fazer muito para ajudar nesse processo. Então é melhor combiná-lo com algo como a glucosamina, que é mais específica para a recuperação da cartilagem. Em conjunto, você pode acelerar a recuperação do tecido cartilaginoso na articulação e fornecer suporte sintomático para a dor.

Este é apenas um exemplo de quando é melhor combinar outros suplementos com o CBD para obter melhores resultados. Vamos ver mais cinco exemplos que você pode implementar hoje mesmo.

Os Cinco Melhores Suplementos para Tomar com seu CBD

Escolher quais suplementos usar junto com seu CBD vai depender dos sintomas que está tentando aliviar.

1. CBD e L-Teanina para a Ansiedade

Existem muitas causas para a ansiedade, mas os efeitos que sentimos durante um ataque de ansiedade são resultado direto da hiperativação do sistema nervoso – conhecida como reação de lutar ou fugir.

O CBD ajuda a acalmar o sistema nervoso através de sua capacidade de aumentar a atividade de um neurotransmissor conhecido como GABA – que atua como o pedal do freio para o sistema nervoso.

Quando o nosso sistema nervoso acelera muito rápido, o GABA diminui a velocidade novamente.

Pisar no pedal do freio é ótimo, mas somente se você soltar o pedal do acelerador ao mesmo tempo.

É onde a L-teanina entra.

A L-teanina é um aminoácido encontrado na planta do chá (Camellia sinensis). Sua estrutura se assemelha a um neurotransmissor conhecido como glutamato – que é essencialmente o pedal do acelerador do cérebro, e um dos principais neurotransmissores estimulantes do cérebro.

A similaridade na estrutura química da L-teanina com o glutamato permite que ela se ligue aos receptores de glutamato – mas isso não produz nenhum efeito [10]. Na verdade, a L-teanina impede que o glutamato atinja esses receptores – efetivamente tirando o pé do acelerador para permitir que o CBD nos acalme.

2. CBD e Ashwagandha (KSM-66) para o Estresse

Uma resposta eficaz ao estresse é fundamental para manter a saúde em dia.

O estresse vem tem várias causas, mas todos os tipos tem efeitos similares no corpo. Ele ativa uma região profunda dentro do corpo conhecida como hipotálamo. O hipotálamo então envia hormônios para as glândulas suprarrenais, que iniciam a produção de um hormônio conhecido como cortisol.

O cortisol então causará alguns efeitos como:

  • Inibição do sistema imunológico
  • Inibição da digestão
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Aumento da pressão arterial
  • Dilatação das vias aéreas
  • Estimulação do cérebro
  • Estimulação do fígado a despejar glicose na corrente sanguínea

O cortisol é útil a curto prazo para ativar a resposta ao estresse quando necessário, mas se permitido atuar por muito tempo, ele pode causar sérios problemas a longo prazo, incluindo insônia, névoa cerebral, diminuição da imunidade, ganho de peso, e complicações ainda mais graves, como diabetes e doenças cardíacas.

A suplementação de Ashwagandha tem mostrado reduzir os níveis de cortisol ao longo do tempo com o uso regular [1, 2]. Existem várias teorias sobre como isso é alcançado, mas a ideia é que ele aumenta a conversão do cortisol em seus metabólitos inativos, aumentando a capacidade do hipotálamo de regular os níveis de cortisol e lidar com o estresse.

O CBD combina-se muito bem com a Ashwagandha, porque ambos alcançam resultados semelhantes, agindo em diferentes áreas do sistema nervoso, incluindo o GABA [3].

Estes compostos podem trabalhar juntos para aliviar o estresse crônico de cima para baixo.

3. CBD, Curcumina e Boswellia para Inflamação Crônica

Inflamações são incrivelmente complexas e existem livros inteiros dedicados ao assunto, sem sequer passar por temas superficiais.

A inflamação pode variar muito dependendo de sua causa, o que significa que a inflamação durante um distúrbio autoimune é muito diferente da inflamação quando você se machuca.

A inflamação de longo prazo (crônica) também é muito diferente da inflamação de curto prazo (aguda).

O CBD é excelente para tratar inflamações crônicas e agudas porque ele bloqueia muitas das moléculas envolvidas no desencadeamento da inflamação, porém, ele tem seus limites.

A adição de curcumina (o componente ativo do açafrão) e a Boswellia (outro nome para o olíbano) pode aumentar ainda mais os efeitos do CBD, oferecendo benefícios anti-inflamatórios adicionais por meio de diferentes mecanismos.

A curcumina e a Boswellia param a inflamação ao bloquear as principais enzimas envolvidas na fabricação de compostos inflamatórios conhecidos como COX e 5-LOX.

A curcumina bloqueia o COX [6], enquanto a Boswellia é mais eficaz para interromper a enzima relacionada 5-LOX [7].

Tomar todos os três suplementos juntos vai oferecer benefícios mais profundos, porque todas essas ações são importantes para parar a inflamação.

Ao ter as enzimas bloqueadas sobre os principais mensageiros inflamatórios pelo CBD, o processo de inflamação chega a uma interrupção brusca.

4. CBD, Glucosamina e Sulfato de Condroitina para Dores nas Articulações

O CBD é útil para aliviar dores nas articulações relacionadas à artrite reumatoide e a osteoartrite, devido aos seus benefícios analgésicos e anti-inflamatórios.

A inflamação é um componente chave das causas subjacentes da artrite, mas não é a única causa.

Um dos maiores problemas que levam a dores articulares crônicas devido à artrite é a perda gradual da cartilagem nas articulações. O papel da cartilagem é proteger as articulações para que os ossos não fiquem em contato direto uns com os outros. Assim, a cartilagem e o fluido escorregadio chamado líquido sinovial permitem que as articulações se movam livremente sem causar danos aos ossos.

À medida que se perde cartilagem, a fricção de um osso com o outro provoca dor extrema e agrava a inflamação, levando a uma degeneração ainda mais rápida da cartilagem e a um acúmulo de tecido cicatrical.

O CBD é eficaz para reduzir a dor sintomática nas articulações e combater a inflamação, mas faz muito pouco para restaurar a cartilagem óssea perdida.

É aqui que entram a glucosamina e o sulfato de condroitina.

Ambos os suplementos são conhecidos por sua capacidade de fornecer precursores essenciais para o corpo reparar tanto a cartilagem como as células responsáveis ​​pela produção de fluido sinovial (condrócitos).

Em conjunto, o CBD pode ajudar a diminuir a inflamação e tratar a dor, enquanto o sulfato de glucosamina e condroitina ajudam a restaurar o tecido cartilaginoso ao longo do tempo.

5. CBD e Erva de São João para a Depressão

A depressão pode ser debilitante para a nossa saúde, especialmente se ela persistir por longos períodos.

O CBD é uma boa opção para tratar a depressão principalmente por seus benefícios anti-inflamatórios. A neuroinflamação tem se mostrado um fator chave no desencadeamento da depressão [8], mas não é a única causa.

A maioria dos medicamentos antidepressivos funciona aumentando os níveis de serotonina no cérebro – algo que o CBD não é capaz de fazer.

A erva de São João (Hypericum perforatum), por outro lado, pode fazer isso.

Esta erva funciona de forma semelhante aos medicamentos Inibidores Seletivos de Recaptação de Serotonina (ISRS) usados ​​para tratar a depressão [9]. Eles bloqueiam a recaptação e a quebra da serotonina no cérebro, fazendo com que os níveis aumentem fora dos neurônios.

Esta capacidade de aumentar a serotonina, combinada aos poderosos efeitos anti-inflamatórios do CBD, fornece uma combinação poderosa para aliviar os sintomas da depressão.

Sempre consulte o seu médico antes de tomar qualquer coisa para a depressão, especialmente se você já estiver tomando medicamentos antidepressivos. Tanto o CBD quanto a erva de São João podem interagir negativamente com sua medicação, e nesse caso, devem ser evitados.

Bônus: Dica de Suplementação com CBD

Suco de toranja para prolongar os efeitos do CBD

O CBD, assim como qualquer outro composto que consumimos, é eventualmente metabolizado e desativado pelo fígado.

O fígado é um órgão incrivelmente versátil. Ele pode quebrar quase qualquer composto que entra na corrente sanguínea, graças a um conjunto de enzimas conhecidas como o complexo isoenzima do citocromo P450.

Dependendo da estrutura química do composto que está sendo metabolizado, diferentes enzimas serão escaladas para o trabalho.

Quando se trata do CBD, o fígado depende principalmente de duas enzimas – CYP3A4 e CYP3A5 [4].

Portanto, se inibirmos a atividade dessas enzimas, levará muito mais tempo para o fígado quebrar o CBD.

Existem algumas coisas que podem fazer isso, mas nada tão forte ou prontamente disponível quanto o suco de toranja [5].

Isto levou muitas pessoas a começarem a consumir suco de toranja ou a tomar extratos de sumo de toranja, juntamente com a sua suplementação de CBD para obter benefícios mais duradouros – reduzindo efetivamente a dose diária necessária e proporcionando alívio a longo prazo.

Nota de advertência: O suco de toranja também inibe outras enzimas do fígado, portanto, você nunca deve tomar este suplemento se estiver fazendo uso de outros medicamentos, porque isso pode causar efeitos colaterais. É especialmente importante evitar o suco de toranja se estiver tomando medicamentos diluentes de sangue ou para pressão arterial elevada.

Principais Conclusões: Suplementos para Tomar com o CBD

O CBD é um suplemento de saúde incrível, pois tem muito a oferecer em uma ampla gama de diferentes condições médicas. No entanto, como muitos outros compostos fitoterápicos, o CBD é ainda melhor quando combinado a outras ervas e suplementos.

A escolha de quais suplementos você deve combinar com o CBD depende dos sintomas que está tratando.

Ao aproveitar os benefícios do CBD juntamente com outros suplementos, somos capazes de aproveitar benefícios ainda maiores para reverter, prevenir ou aliviar os sintomas.

Essa é a diferença entre uma abordagem holística e uma abordagem reducionista. Qual delas você prefere?

Referências

  1. Bhattacharya, S. K., & Muruganandam, A. V. (2003). Adaptogenic activity of Withania somnifera: an experimental study using a rat model of chronic stress. Pharmacology Biochemistry and Behavior, 75(3), 547-555.
  2. Chandrasekhar, K., Kapoor, J., & Anishetty, S. (2012). A prospective, randomized double-blind, placebo-controlled study of safety and efficacy of a high-concentration full-spectrum extract of ashwagandha root in reducing stress and anxiety in adults. Indian Journal of Psychological Medicine, 34(3), 255.
  3. Consroe, P., Benedito, M. A., Leite, J. R., Carlini, E. A., & Mechoulam, R. (1982). Effects of cannabidiol on behavioral seizures caused by convulsant drugs or current in mice. European journal of pharmacology, 83(3-4), 293-298.
  4. Yamaori, S., Ebisawa, J., Okushima, Y., Yamamoto, I., & Watanabe, K. (2011). Potent inhibition of human cytochrome P450 3A isoforms by cannabidiol: role of phenolic hydroxyl groups in the resorcinol moiety. Life sciences, 88(15-16), 730-736.
  5. Ho, P. C., Saville, D. J., Coville, P. F., & Wanwimolruk, S. (2000). Content of CYP3A4 inhibitors, naringin, naringenin and bergapten in grapefruit and grapefruit juice products. Pharmaceutica Acta Helvetiae, 74(4), 379-385.
  6. Goel, A., Boland, C. R., & Chauhan, D. P. (2001). Specific inhibition of cyclooxygenase-2 (COX-2) expression by dietary curcumin in HT-29 human colon cancer cells. Cancer letters, 172(2), 111-118.
  7. Lalithakumari, K., Krishnaraju, A. V., Sengupta, K., Subbaraju, G. V., & Chatterjee, A. (2006). Safety and toxicological evaluation of a novel, standardized 3-O-acetyl-11-keto-β-boswellic acid (AKBA)-enriched Boswellia serrata extract (5-Loxin®). Toxicology mechanisms and methods, 16(4), 199-226.
  8. Kiecolt-Glaser, J. K., Derry, H. M., & Fagundes, C. P. (2015). Inflammation: depression fans the flames and feasts on the heat. American Journal of Psychiatry, 172(11), 1075-1091.
  9. Neary, J. T., & Bu, Y. (1999). Hypericum LI 160 inhibits uptake of serotonin and norepinephrine in astrocytes. Brain research, 816(2), 358-363.
  10. Nathan, P. J., Lu, K., Gray, M., & Oliver, C. (2006). The neuropharmacology of L-theanine (N-ethyl-L-glutamine) a possible neuroprotective and cognitive enhancing agent. Journal of Herbal Pharmacotherapy, 6(2), 21-30.