Baseado em evidências

O CBD É Seguro Para Crianças? O Guia Completo de Dosagem de CBD para Crianças.

Assim como os adultos, as crianças também têm muito a se beneficiar com o uso de CBD. Veja aqui como calcular as doses, os melhores formatos e muito mais!

Artigo escrito por
Justin Cooke , postado a 2 semanas atrás

  • Tabela de Conteúdo

Até mesmo os cachorros estão falando sobre CBD nos dias de hoje.

O controverso suplemento tem benefícios substanciais à saúde e é útil para tratar uma série de condições, desde insônia e ansiedade até dor muscular e inflamação.

Muitos pais estão se perguntando se o suplemento é seguro para seus filhos – e se é legal.

Neste artigo, abordaremos tudo o que você precisa saber sobre CBD para crianças.

Vamos falar sobre as leis, os aspectos de segurança, algumas das razões mais populares pelas quais as pessoas estão usando, e como calcular a dose certa, dependendo da idade e peso da criança.

Vamos começar!

O CBD Deixará meu Filho Chapado?

Esta é a primeira pergunta que a maioria dos pais faz antes de decidir pelo o uso de CBD em seus filhos.

A resposta a esta pergunta é um ressonante não, desde que o teor de THC do produto escolhido seja inferior a 0,3%.

O THC (tetrahidrocanabinol) é o principal componente psicoativo da planta de cannabis, e é o composto responsável pela “sensação de estar chapado” associada à maconha.

O CBD é diferente, pois não tem efeitos psicoativos.

Esses dois canabinoides são semelhantes em muitos aspectos, mas há uma diferença fundamental em como eles interagem com o corpo. O THC ativa uma série de receptores no cérebro (receptores CB1) que desencadeiam a liberação em efeito cascata de serotonina no cérebro, produzindo o que conhecemos como o efeito de estar “chapado”.

O CBD não ativa esses receptores. Em vez disso, ele funciona ajudando os canabinoides já presentes no corpo, portanto não produz nenhuma psicoatividade.

O Uso de CBD por Crianças é Legalizado?

Produtos recreativos de cannabis que contém THC não são aceitáveis ​​para crianças. De fato, é completamente ilegal fornecer produtos contendo THC para crianças.

No entanto, como já discutimos, o CBD não tem efeitos intoxicantes, sendo tratado como um suplemento nutricional nos Estados Unidos. A maioria dos países do mundo também considera o CBD neste mesmo nível.

Técnicas modernas de extração permitem que os fabricantes removam o THC de seus produtos finais, permitindo que sejam dados de forma segura e legal às crianças.

Apesar disso, é aconselhável consultar o médico do seu filho antes de dar-lhe qualquer suplemento, inclusive o CBD.

Quando Devo Considerar Dar CBD para Meu Filho?

Há muitas razões pelas quais alguém pode querer dar CBD ao seu filho.

Com uma dosagem adequada, as crianças podem se beneficiar do CBD em relação ao alívio de dores, inflamações, ansiedade, insônia ou estresse excessivo.

O CBD não é psicoativo, o que significa que não produzirá nenhum efeito colateral que altere a mente. Ele funciona como qualquer outro suplemento nutricional.

Oito Motivos Pelos Quais os Pais Estão Oferecendo CBD aos Seus Filhos

1. Ansiedade

Muitas vezes as crianças sentem ansiedade, seja por deficiências nutricionais, pressão em casa ou na escola, ou dificuldades em fazer amigos. É normal e a maioria das crianças consegue passar por um período difícil sem a necessidade de medicamentos farmacêuticos fortes.

O CBD, porém, é um ótimo suplemento para controlar a ansiedade a curto prazo, ao mesmo tempo em que seu filho supera qualquer problema que esteja passando.

O composto funciona aumentando a atividade dos neurotransmissores no cérebro encarregados de reduzir a hiperatividade no sistema nervoso. Ele ajuda a mente a relaxar após um evento estressante e retornar a uma linha de base normal.

Saiba mais sobre como usar o CBD para a ansiedade.

2. Insônia

Talvez o motivo mais comum pelo qual os pais estão dando aos seus filhos o CBD é para tratar a insônia.

A superestimulação pode fazer com que muitas crianças tenham dificuldades em desligar-se no final do dia. Seus cérebros permanecem conectados por horas na cama depois de passar tanto tempo na frente de telas tanto em casa quanto na escola. Crianças que têm dificuldade em dormir, muitas vezes ficam irritadas com facilidade ​​(compreensivelmente), o que pode tornar ainda mais difícil adormecer.

O CBD é um excelente suplemento para ajudar no sono. Não é diretamente um sedativo, então você não precisa se preocupar em tranquilizar seu filho. Ele apenas retarda a hiperatividade no cérebro, dando ao seu filho a chance de relaxar e adormecer naturalmente.

Saiba mais sobre o uso de CBD para insônia.

3. Epilepsia

Uma das principais razões pelas quais o CBD se tornou tão popular nos últimos anos é a sua capacidade de tratar a epilepsia. A maior parte desta pesquisa foi feita por meio de estudos com crianças – começando com uma garota chamada Charlotte Figi.

Charlotte sofre de uma forma rara de epilepsia conhecida como síndrome de Dravet. Por anos, ela sofria dezenas de convulsões todos os dias. Apesar de tentarem tudo o que podiam, os pais de Charlotte não conseguiram oferecer o alívio que sua filha tanto almejava, até que decidiram experimentar a cannabis.

Quase imediatamente após dar à filha um extrato de cannabis com alto teor de CBD, ela praticamente deixou de ter convulsões. Ela passou de centenas por semana para apenas algumas a cada semana. Em alguns dias, ela não tinha nenhuma.

A história de Charlotte explodiu na mídia e tem sido um dos principais contribuintes para a popularidade do CBD hoje.

Existe uma quantidade significativa de pesquisas feitas sobre o uso de CBD para a epilepsia em adultos e crianças.

Saiba mais sobre o uso de CBD para a epilepsia.

4. Autismo

O transtorno do espectro autista (TEA) está se tornando um diagnóstico cada vez mais comum na primeira infância. Atualmente, não há quase nada que possamos fazer para tratá-lo.

Existem alguns medicamentos, mas eles não são confiáveis ​​e muitas vezes vêm acompanhados por efeitos colaterais negativos.

Nos últimos anos, o CBD está chamando atenção de pesquisadores médicos em todo o mundo como um potencial tratamento para o autismo.

Não há cura para o distúrbio; porém, há muito espaço para melhorar o controle dos sintomas – especialmente os efeitos colaterais, como ansiedade, convulsões, alterações de humor e maior potencial para comportamento viciante. Todos esses sintomas são reduzidos com o uso de CBD.

Saiba mais sobre o uso de CBD para transtornos do espectro do autista.

5. TDAH

O transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) é um distúrbio neurológico comum que afeta cerca de 1 em cada 15 crianças nos países desenvolvidos [1].

As opções atuais de tratamento são principalmente farmacêuticas. Drogas estimulantes, incluindo Adderall e metilfenidato, ajudam com os sintomas, mas muitas vezes são acompanhadas de seu próprio conjunto de efeitos colaterais negativos. Por causa disso, muitos pais estão buscando opções alternativas naturais.

O CBD oferece uma nova solução para os sintomas de TDAH, sendo que um dos principais sintomas é a hiperatividade – algo no qual o CBD é particularmente útil.

A natureza relaxante do CBD ajuda crianças hiperativas a permanecerem mais calmas e alivia efeitos colaterais comuns, como ansiedade e insônia. Ele também é útil para aliviar dores de cabeça e condições autoimunes que podem estar associadas à condição.

Saiba mais sobre o uso de CBD para o TDAH.

6. Asma

A asma se manifesta de muitas formas diferentes, de leve a grave e pode ser muito debilitante.

Dentre todas as possíveis causas, as causas subjacentes da asma são inflamação e inchaço das vias aéreas. Medicamentos como o salbutamol são comumente usados ​​no tratamento da asma infantil. No entanto, esses medicamentos podem gerar resistência, o que significa que quanto mais o seu filho usa, menos eficaz se torna ao longo do tempo. Assim, você precisará eventualmente aumentar a dose ou encontrar outro medicamento para aliviar os sintomas.

O CBD é um composto anti-inflamatório potente que atua em várias vias inflamatórias que levam a reações asmáticas (como TNF-a, IL-6, IL-4 e IL-13). Ele funciona melhor como um preventivo para os ataques de asma, em vez de um tratamento propriamente dito. Para o tratamento, é melhor aderir aos broncodilatadores beta-agonistas presentes na bomba de asma.

Como um suplemento diário, sugere-se que o CBD resista à ativação imune envolvida na asma. Ele também relaxa os músculos que revestem as vias aéreas e reduz os níveis de estresse, dois fatores que contribuem fortemente para uma reação asmática.

Saiba mais sobre o uso de CBD para asma.

7. Cinetose

As crianças são especialmente propensas a sentir cinetose – o enjoo associado ao movimento. Existem muitas razões para isso, mas a teoria mais comum afirma que é devido aos seus canais auditivos menores. É também por isso que as crianças têm maior probabilidade de sofrer infecções no ouvido interno ou médio do que os adultos.

Dentro dos nossos ouvidos há um conjunto único de nervos projetados para transmitir mensagens ao cérebro sobre nossa associação com o chão, o que nos ajuda a diferenciar o em cima do em baixo e manter nosso equilíbrio.

Se este sistema se torna disfuncional, o que pode acontecer quando alguém fica sentado em um carro por muito tempo ou em superfícies instáveis, como barcos – o cérebro entra em pânico e nos faz sentir enjoados. O cérebro é, na verdade, levado a pensar que devemos ter comido algo estragado, o que o faz tentar tirá-lo do corpo nos fazendo vomitar.

A região do cérebro responsável por produzir esses efeitos é apropriadamente chamada de centro da náusea no cérebro. Este sistema é fortemente regulado pelo sistema endocanabinoide [2].

O CBD, por sua vez, interage de perto com o sistema endocanabinoide, impedindo a quebra de nossos endocanabinoides naturais. Este efeito é visto como sendo a razão pela qual o CBD é tão útil para aliviar a náusea.

Ele também é utilizado para oferecer alívio a pacientes com câncer que experimentam episódios extremos de náusea após sessões de quimioterapia [3].

Saiba mais sobre o uso de CBD para a cinetose.

8. Problemas de pele

O CBD também é útil para tratar condições de pele, tanto internamente na forma de óleos ou suplementos de CBD, como também topicamente na forma de pomadas ou cremes.

Condições como caspa, psoríase, eczema e pequenas feridas podem se beneficiar dos efeitos anti-inflamatórios e vulnerários ​​(rapidez no processo de cicatrização) dos produtos de CBD.

Quando se trata de produtos tópicos de CBD, nem todos os produtos são fabricados da mesma forma. Há um monte de produtos mal formulados que contêm químicos que irritam a pele, possuem baixo teor de CBD, ou faltam ingredientes benéficos adicionais.

Os melhores produtos nesta categoria terão um uso específico e virão formulados com outras ervas e suplementos benéficos, que podem variar dependendo da condição específica da pele que você está tentando tratar.

Saiba mais sobre o uso de CBD para problemas de pele.

Guia: Como Dar CBD para Crianças

Agora que já discutimos as circunstâncias em que você pode começar a pensar em dar CBD para crianças, é hora de descobrir mais detalhes.

O CBD é um assunto relativamente complicado e existem muitos produtos diferentes no mercado – alguns muito melhores que outros.

Então, vamos discutir os diferentes tipos de produtos de CBD disponíveis e falar sobre quando você pode querer usá-los ou quando deve evitá-los.

Qual Formato de CBD Devo Escolher?

1. Óleos

Os óleos são a formato mais comum de CBD. Eles são fáceis de usar e doses específicas podem ser calculadas facilmente contando as gotas ou usando um pequeno copo de medição.

Misture os óleos de CBD com o suco ou vitamina preferidos do seu filho para disfarçar o sabor.

2. Balas de goma

As balas de goma também são uma ótima maneira de dar CBD para crianças. Elas têm gosto doce e podem ser divididas em doses menores simplesmente cortando-as em pedaços.

Certifique-se de armazená-las em um lugar seguro onde seu filho não possa alcançar.

3. Xaropes

Os xaropes não são muito comuns, mas funcionam da mesma maneira que o óleo de CBD. O sabor doce torna fácil disfarçá-lo com outros alimentos (como waffles ou panquecas). A única desvantagem é o alto teor de açúcar.

4. Tópicos

Os tópicos são a melhor opção para qualquer condição relacionada à pele. Esses produtos não precisam ter a dose medida e são, portanto, o meio mais seguro de usar o CBD. Porém, é importante testar qualquer novo produto para pele em uma pequena área do corpo para se certificar de que não há reações alérgicas antes de usá-lo em áreas maiores.

5. Supositórios

Os supositórios são específicos para inflamações no trato digestivo e existem apenas alguns casos em que eles são realmente necessários, como após uma infecção parasitária (como vermes), para acelerar a recuperação e diminuir a inflamação.

Qual Formato de CBD Devo Evitar?

Nem todas os formatos de CBD são apropriados para crianças. Aqui estão alguns exemplos de produtos de CBD que você deve evitar para crianças.

1. Tinturas (à base de álcool)

Qualquer coisa relacionada a álcool deve evitada com crianças. A maioria das tinturas é à base de álcool e deve, portanto, ser evitada. Existem, no entanto, empresas que se referem aos óleos de CBD como tinturas. Portanto, verifique sempre os ingredientes dos produtos vendidos como tinturas para confirmar seu conteúdo.

2. Cápsulas

As cápsulas são uma ótima maneira de usar o CBD, mas geralmente não são recomendadas para crianças, especialmente aquelas com menos de 8 anos.

Isso ocorre porque crianças mais novas têm vias aéreas menores em comparação aos adultos. Assim, é muito mais fácil para uma cápsula ficar presa na garganta de uma criança, o que pode ser uma experiência muito desconfortável e perigosa.

3. Vaporizadores e E-líquidos

Crianças não devem utilizar vaporizadores – fim de papo. Vaporizadores são um produto exclusivo para adultos.

4. Concentrados

Os concentrados devem ser evitados por todos, exceto por usuários de CBD mais experientes. Isso se aplica até aos adultos.

A potência ultra alta torna muito fácil o consumo excessivo. Para crianças menores que requerem apenas doses muito pequenas e são mais sensíveis a compostos (incluindo CBD), esta é uma receita para o desastre.

Portanto, evite concentrados e opte por algo com menor potência.

Como Calcular Doses de CBD para Crianças

As crianças são muito menores que os adultos e tendem a ter significativamente menos gordura corporal – o que desempenha um grande papel nos efeitos de um suplemento ou medicação.

Em geral, as crianças também costumam ser mais sensíveis a suplementos, por isso é importante estar bem informado sempre que você começar a dar suplementos a elas.

Se você for simplesmente seguir as instruções na embalagem do produto, você pode estar dando-lhes muito. As doses das crianças podem variar muito dependendo da idade e do peso corporal.

Aqui, vamos mostrar cinco passos para determinar a dose certa para a criança com base nas doses dos adultos listadas na embalagem.

Vamos até fornecer algumas fórmulas simples que você pode usar para calcular a dose de uma criança para qualquer suplemento.

Passo 1: Determine a Dose para Adultos

As doses das crianças são mais facilmente calculadas com base na dose dos adultos, de modo que o primeiro passo é obter esta linha de base.

Mesmo em adultos, as doses podem variar significativamente. Os fatores mais determinantes são o peso e a força desejada.

Algumas condições exigem grandes doses de CBD para que se tenha resultado (como insônia, ansiedade severa ou epilepsia).

Outras condições precisam de doses menores, mas isso dependerá da gravidade dos sintomas.

Doses Gerais com Base na Força Desejada (Adultos)

  1. Força baixa: 15 mg
  2. Força média: 45 mg

Observação: Podem ser necessárias forças muito mais elevadas, especialmente quando se trata de condições médicas específicas, como síndrome de Dravet. No entanto, isto deve ser discutido primeiro com um médico experiente em prescrever CBD para crianças.

O CBD é muito seguro como um suplemento dentro das faixas de dose acima, mas pode produzir efeitos colaterais indesejados, como super sedação e tontura em altas doses.

Passo 2: Use Uma Destas Três Fórmulas para Calcular a Dose Equivalente para Crianças

Após obter a dose para adultos, basta fazer um cálculo simples para saber qual a dose do seu filho.

Existem fórmulas para calcular a dose tanto pela idade quanto pelo peso. Alguns só funcionam até uma certa idade, enquanto outras são limitados ao peso.

Aqui estão as melhores fórmulas para calcular doses para crianças:

A) Regra de Ausberger – Do nascimento em diante

Esta é a fórmula:

[1,5 x peso em kg] + 10 = porcentagem da dose adulta

Exemplo:

Digamos que a dose adulta que você está procurando seja a mínima – 15 mg por dia. E usaremos uma criança de 30 kg como exemplo. O cálculo ficaria assim: 1,5 x [30 kg] + 10 = 55%

55% de 15 mg é igual a 8,25 mg por dia.

Então, você daria ao seu filho cerca de 8 mg de CBD como uma dose.

B) Regra de Salisbury #1 – Para crianças com menos de 30 kg

Esta é a fórmula:

[peso em kg x 2] = porcentagem da dose adulta

Exemplo:

Usando uma dose para adultos de 30 mg por dia como guia e uma criança com 20 kg, temos o seguinte cálculo: (30 kg x 2) = 60%.

60% de 30 mg equivale a uma dose de 18 mg.

C) Regra de Salisbury #2 – Para crianças com mais de 30 kg

Esta é a fórmula:

[peso + 30] = porcentagem da dose adulta

Exemplo:

Usando uma dose adulta de 30 mg por dia como guia e uma criança com 40 kg, temos o seguinte cálculo: (40 + 30) = 70%.

70% de 30 mg equivale a uma dose de 21 mg.

Tabela Rápida de Referência para Doses de Crianças

Peso (kg) Força Baixa Força Média
13 kg 2,6 mg 7,8 mg
18 kg 3,6 mg 10,8 mg
23 kg 4,6 mg 13,8 mg
34 kg 6,4 mg 19,0 mg
45 kg 7,5 mg 22,5 mg

(Calculada usando a Regra de Salisbury)

Passo 3: Determine a Dose Equivalente para o Produto que Você Está Usando

Agora que você já sabe quanto CBD usar, tudo que você precisa fazer é comparar isso com o produto que você comprou ou vai comprar.

Se está usando balas de goma, este passo é fácil. Tudo que você precisa fazer é olhar a quantidade de CBD listada para cada bala. Isso pode variar de 5 a 50 mg por bala.

Então, se seu objetivo são doses de 8 mg, você pode comprar uma bala de 10 mg e cortar cerca de 20% do final ou comprar balas de 5 mg e dar uma bala e meia a cada dose.

Para óleos e xaropes de CBD, este passo pode ser um pouco mais complicado, porque os óleos vêm em muitas potências diferentes. Porém, depois que você entende, fica fácil.

Deixe-me explicar melhor.

Para dosar corretamente os óleos de CBD, você precisa saber quanto CBD contém cada ml de óleo. Um óleo de 300 mg por garrafa vai ter significativamente menos CBD por ml do que um frasco de 1000 mg do mesmo tamanho.

Aqui está uma tabela simples que mostra como essas potências podem mudar:

  Frasco de 30 ml Frasco de 60 ml
100 mg 3,33 mg/ml 1,6 mg/ml
300 mg 10 mg/ml 5 mg/ml
600 mg 20 mg/ml 10 mg/ml
1000 mg 33,3 mg/ml 16,6 mg/ml
2000 mg 66,6 mg/ml 33,3 mg/ml
4000 mg N/D 66,6 mg/ml

Uma vez que você sabe a potência do óleo que está usando, é só contar os ml para obter a dose exata. Um ml corresponde a aproximadamente 20 gotas. Você também pode usar um copo de medição pequeno para ser mais preciso.

Os supositórios são diferentes. Quando usados em crianças, devem ser uma opção de menor potência (30 mg ou menos por supositório).

O Que Tudo Isso Significa

Ao escolher um óleo de CBD para crianças, procure uma potência baixa (300 mg ou 600 mg). Isso permite que você meça pequenas doses com mais facilidade.

Se estiver usando cápsulas ou balas de goma, encontre opções de baixa potência que possam ser combinadas para chegar o mais próximo possível da dose desejada – como cortar as balas ao meio.

Dicas para Dar CBD às Crianças

1. Use Balas de Goma

As balas de goma são uma das maneiras mais fáceis de dar CBD às crianças pequenas. Elas têm um ótimo sabor e facilitam dosagens mais precisas cortando-as ao meio.

2. Comece com Pouco e Vá Devagar

Comece sempre com uma dose baixa para ver como o seu filho reage. Ao ver que eles não reagem negativamente ao CBD, você pode aumentar gradualmente até a dose desejada.

3. Use Doses Modificadas para Crianças

Certifique-se de calcular a dose usando uma das fórmulas acima, em vez de usar a dosagem para adultos.

4. Use Tópicos mais Fortes

Se estiver usando tópicos, certifique-se de encontrar um produto com pelo menos 10 mg de CBD para cada ml – qualquer coisa menor que isso não será muito confiável.

5. Registre as Mudanças

Faça algumas anotações antes de dar CBD ao seu filho. Inclua os seguintes pontos:

  • Quais são os sintomas?
  • Quão severos são os sintomas?
  • Quando os sintomas pioram? Quando eles melhoram?

Após cerca de uma semana usando o CBD, faça novamente as anotações e compare-as. Se não houver mudanças perceptíveis, continue por pelo menos mais uma semana e repita. Se nada mudar depois de cerca de um mês, o CBD pode não ser o melhor suplemento para as necessidades do seu filho.

6. Verifique o Conteúdo de THC com Muito Cuidado

Sempre certifique-se de que o produto está isento de THC ou contém menos de 0,3% de THC.

A maioria dos produtos no mercado não contém THC. Porém, isso pode mudar com o tempo à medida que as leis sobre os extratos de cannabis continuam a se desenvolver.

Principais Conclusões: Suplementos de CBD para Crianças

Assim como os adultos, as crianças também podem se beneficiar da suplementação com CDB. A dose necessária será muito menor e precisa ser medida com maior precisão, mas os efeitos são os mesmos.

Condições como TDAH, asma, autismo, enjoo, insônia e ansiedade são especialmente problemáticas para crianças pequenas, e todas elas são condições que podem ser tratadas com CBD.

Sempre que der CBD a uma criança, é importante administrar pequenas doses. Use as fórmulas acima para calcular doses individuais, e lembre-se de que as crianças crescem rápido, por isso você precisará recalcular suas doses a cada poucos meses.

Recomendamos optar por um óleo de CBD de baixa potência (300 mg ou 600 mg por oz) ou usar balas de goma.

Referências

  1. Zulauf, C. A., Sprich, S. E., Safren, S. A., & Wilens, T. E. (2014). The complicated relationship between attention deficit/hyperactivity disorder and substance use disorders. Current psychiatry reports, 16(3), 436.
  2. Choukèr, A., Kaufmann, I., Kreth, S., Hauer, D., Feuerecker, M., Thieme, D., … & Schelling, G. (2010). Motion sickness, stress and the endocannabinoid system. PloS one, 5(5), e10752.
  3. Duran, M., Pérez, E., Abanades, S., Vidal, X., Saura, C., Majem, M., … & Rams, N. (2010). Preliminary efficacy and safety of an oromucosal standardized cannabis extract in chemotherapy‐induced nausea and vomiting. British journal of clinical pharmacology, 70(5), 656-663.