Baseado em evidências

Como as Pessoas Estão se Livrando da Dependência de Alprazolam (e Outros Benzodiazepínicos) com o CBD

A dependência do benzodiazepínico Alprazolam é um grande problema no mundo todo, mas o CBD pode ser um meio de se livrar dele. Descubra como.

Artigo escrito por
Justin Cooke , postado a 2 semanas atrás

  • Tabela de Conteúdo

O Alprazolam é um medicamento ansiolítico da classe dos benzodiazepínicos.

Ele é usado para forçar o sistema nervoso a um estado de relaxamento – interrompendo a ansiedade forma eficaz.

O problema dos benzodiazepínicos em geral é que eles são altamente viciantes. Depois de apenas algumas semanas de uso, as pessoas podem se tornar dependentes deles. Assim que seus efeitos desaparecem, o cérebro entra em um estado de hiperativação – resultando em graves ataques de ansiedade, que podem levar à insônia debilitante e instabilidade emocional.

Por causa dos graves efeitos colaterais, muitas pessoas estão tentando abandonar os benzodiazepínicos, mas encontram dificuldade devido à sua natureza altamente viciante. Quando as drogas desaparecem do sistema, os usuários sofrem com ataques de ansiedade.

As pessoas estão começando a usar o canabidiol (CBD) como forma de aliviar os sintomas de abstinência enquanto reduzem suas doses de benzodiazepínicos. O objetivo é parar de usá-los completamente.

Neste artigo, discutiremos como as pessoas estão usando o CBD como um intermediário para se livrarem dos benzodiazepínicos, como o Alprazolam. Falaremos sobre as pesquisas promissoras que estão sendo feitas nesta área e o que isso significa para as pessoas que estão viciadas em medicamentos para ansiedade.

Vamos lá!

O Que São Benzodiazepínicos?

Os benzodiazepínicos são uma classe de medicamentos ansiolíticos sintéticos.

Esta classe de medicamentos é usada para tratar transtornos de ansiedade (como transtorno de ansiedade social, transtorno de ansiedade generalizada, síndrome do pânico) e insônia.

Alguns dos mais populares incluem Xanax, Valium, Clonazepam e Lorazepam.

O Xanax é de longe o mais comum. Relatórios recentes sugerem que o Xanax é a terceira medicação mais prescrita nos Estados Unidos e uma das 20 principais prescrições de medicamentos vendidas no mercado negro globalmente.

Infelizmente, todos os benzodiazepínicos são altamente viciantes. Eles causam tolerância e dependência em apenas duas semanas de uso regular.

Lista de benzodiazepínicos:

  • Alprazolam (Xanax)
  • Clobazam (Onfi)
  • Clonazepam (Klonopin)
  • Clorazepate (Tranxene)
  • Clordiazepóxido (Librium)
  • Diazepam (Valium)
  • Lorazepam (Ativan)
  • Oxazepam (Serax)
  • Triazolam (Halcion)

Como Funcionam os Benzodiazepínicos

Estes potentes fármacos funcionam modificando os receptores de ácido gama-aminobutírico (GABA) no cérebro, para que eles se tornem mais receptivos ao GABA. Nós utilizamos o GABA para controlar nossos níveis de estresse e atividade cerebral. A melhor analogia para o GABA é que ele se comporta como o pedal de freio do cérebro – nos desacelerando quando precisamos parar.

Quando a atividade do GABA aumenta, as transmissões nervosas no cérebro diminuem – fazendo com que nos sintamos relaxados. Isso interrompe a continuidade dos ataques de ansiedade e nos acalma o suficiente para dormirmos.

Problemas com os Benzodiazepínicos

1. Dependência Química

A maioria das pessoas começa a tomar Alprazolam ou outros benzodiazepínicos sem esperar ficar viciada. Os médicos prescrevem a medicação em pequenas doses por períodos curtos para ajudar as pessoas a passar por períodos de ansiedade severa. Os benzodiazepínicos também são prescritos para períodos de insônia, pois proporcionam alívio a curto prazo.

O problema destes medicamentos é que são necessárias apenas algumas doses para causar dependência.

Depois de apenas alguns dias, o corpo começa a resistir aos efeitos da droga, o que acontece devido a uma mudança nos receptores de GABA. Devido à esta mudança, os usuários precisam tomar doses mais altas da droga para conseguir os mesmos resultados.

Ao mesmo tempo, nós também sofremos com nossos níveis naturais de GABA, pois não conseguimos produzir mais GABA para compensar a tolerância, então, em vez disso, experimentamos os efeitos colaterais da função GABA enfraquecida. O principal efeito colateral disso é exatamente o que as drogas pretendiam tratar – ansiedade.

A dependência de benzodiazepínicos é caracterizada pelo aparecimento de efeitos colaterais negativos à medida que os medicamentos perdem intensidade. Isso é chamado de abstinência.

A abstinência de benzodiazepínicos é extremamente desagradável e inclui sintomas como:

  • Ansiedade severa e ataques de pânico
  • Insônia
  • Alterações de humor
  • Tremores musculares
  • Dores musculares
  • Pensamentos suicidas
  • Náuseas e vômitos
  • Suor excessivo
  • Perda de peso
  • Convulsões
  • Morte (quando o vício em benzodiazepínicos é grave)

À medida que os efeitos colaterais de ansiedade começam a aparecer, fica difícil resistir à medicação. A droga é a única coisa que vai parar a dor. Este é um obstáculo quase impossível de superar quando se está no processo de retirada da droga.

Por isso, a maioria das pessoas continua tomando o medicamento apesar de seus efeitos colaterais negativos. A ansiedade é simplesmente forte demais.

2. Overdose

Os benzodiazepínicos em si não costumam causar uma overdose. No entanto, quando combinados a outras drogas, como analgésicos opiáceos ou álcool, a mistura pode ser incrivelmente perigosa.

Michael Jackson e o rapper Lil Peep tinham Alprazolam em seus organismos no momento de suas mortes.

Os usuários acham que podem evitar esses problemas simplesmente aderindo aos benzodiazepínicos e evitando opiáceos ou álcool – mas não é tão simples assim.

Os médicos não continuarão escrevendo prescrições para o medicamento indefinidamente e, se o fizerem, diminuirão a dose. Com o aumento da tolerância, os usuários são forçados a procurar outras fontes do medicamento para alimentar seu vício.

No mercado negro, os benzodiazepínicos nem sempre são feitos usando bons processos de fabricação. Na verdade, muitas delas contêm uma mistura de outras drogas, como o fentanil, para reduzir os custos do fabricante e isso é extremamente perigoso e muito comum.

Só é preciso uma pílula “contaminada” para acabar como Lil Peep – que morreu devido à uma pílula de Xanax que continha fentanil.

Se nem Lil Peep conseguiu obter drogas limpas, o que te faz pensar que você pode?

Como o CBD Pode Ajudar Alguém a se Livrar de Benzodiazepínicos?

Então, agora que temos uma boa compreensão de como os benzodiazepínicos funcionam e o que os torna tão perigosos, podemos entender como as pessoas estão usando o CBD para ajudar na sua recuperação.

A ideia básica é que podemos usar o CBD para abandonar os benzodiazepínicos gradualmente. À medida que sua dose de benzodiazepínicos é reduzida, você pode simultaneamente aumentar a dose de CBD para compensar alguns dos efeitos colaterais.

Quando os benzodiazepínicos são totalmente removidos do sistema, o foco é abandonar o CBD – o que é significativamente mais fácil.

Isso funciona porque o CBD tem efeitos similares aos benzodiazepínicos nos receptores de GABA – apenas com um potencial significativamente menor de dependência.

O CBD também oferece outros benefícios para pessoas que sofrem com a abstinência de benzodiazepínicos:

  1. Efeitos Anticonvulsivos – o CBD alivia os tremores musculares e a tensão, ajudando a reduzir esses efeitos colaterais desconfortáveis durante a retirada do benzodiazepínico.
  2. Efeitos Ansiolíticos – um dos benefícios mais importantes do CBD é sua capacidade de reduzir os sintomas de ansiedade, que, naturalmente, é o principal efeito colateral da abstinência de benzodiazepínicos.
  3. Efeitos Sedativos – o CBD é um sedativo leve, que ajuda a aliviar os sintomas de insônia resultantes da redução do Xanax, Trazodona ou Valium.

Como Abandonar os Benzodiazepínicos com o CBD

O abandono dos benzodiazepínicos com o CBD é bastante simples. Você começa com uma dose baixa de CBD e sua dose regular de benzodiazepínico. Com o tempo, a dose de benzodiazepínico é gradualmente reduzida, enquanto a dose de CBD é aumentada constantemente.

Eventualmente, os benzodiazepínicos serão completamente interrompidos. Quando este estágio é atingido, o CDB também deve ser gradualmente reduzido – o que é significativamente mais fácil e muito mais seguro.

Passo 1: Informe seu médico

Antes de parar de tomar seu medicamento, informe seu médico.

Você precisa discutir seus planos com ele, mesmo que ele não aprove (muitos médicos parecem preferir manter seus pacientes com os medicamentos para evitar abstinência).

No entanto, sua saúde é sua responsabilidade. Se você for persistente com seu médico, eles precisarão ajudá-lo no processo. e te darão alguns conselhos sobre o plano de abandono gradual, juntamente com algumas dicas para superar os piores momentos.

A maioria dos médicos também agendará visitas durante o processo para monitorar como o seu corpo está respondendo.

Passo 2: Faça um Planejamento de Dosagem

Esta etapa deve ser feita junto com o seu médico ou outro profissional qualificado. Existem alguns médicos e homeopatas que são especializados em eliminar os vícios de drogas. Se você conseguir encontrar um destes, é altamente recomendável que use os seus serviços para otimizar os resultados.

Aqui está um planejamento de dosagem simples para que você tenha uma ideia:
  Dose de Alprazolam (Diária) Dose de CBD (Diária)
Semana 1 6 mg 0 mg
Semana 2 6 mg 5 mg
Semana 3 5 mg 15 mg
Semana 4 5 mg 30 mg
Semana 5 4 mg 40 mg
Semana 6 4 mg 50 mg
Semana 7 3 mg 55 mg
Semana 8 3 mg 55 mg
Semana 9 2 mg 60 mg
Semana 10 2 mg 60 mg
Semana 11 1 mg 60 mg
Semana 12 0 mg 60 mg

Estas dosagens podem variar significativamente dependendo da sua dose diária de Alprazolam ou outros benzodiazepínicos e da forma como o seu corpo reage ao CBD. Algumas pessoas precisam de doses mais altas de CBD para serem eficazes; outras precisam de doses menores.

A chave para usar o CBD é começar com doses baixas e aumentar gradualmente até obter os efeitos desejados. Você pode precisar aumentar um pouco a dose de CBD quando diminuir a dose de benzodiazepínico.

Passo 3: Encomende seu CBD

Antes de iniciar o processo de abandono da medicação, certifique-se de ter CBD suficiente para passar as primeiras duas semanas. Recomendamos optar por um produto de alta potência – eles podem sempre ser diluídos em doses menores, mas pode ser difícil atingir doses mais altas com produtos de baixa potência.

Recomendamos que você encontre um óleo de CBD decente e também um vaporizador de CBD. Os óleos oferecem efeitos duradouros e podem ser tomados tanto no início da manhã quanto à tarde ou à noite.

O vaporizador é bom para tratamentos locais sempre que os sintomas de abstinência aparecem e para ajudar a eliminar o hábito de consumir pílulas sempre que a ansiedade toma conta.

Dicas Para Usar o CBD Contra a Dependência em Benzodiazepínicos

1. Procure ajuda médica antes de tentar abandonar os remédios por conta própria

Antes de mais nada, sempre que quiser parar de tomar um medicamento como as benzodiazepínicos, você precisa procurar orientação profissional de um médico qualificado.

A abstinência de benzodiazepínicos pode ser perigosa – até mesmo letal, em alguns casos.

Consulte seu médico e retorne para consultas periódicas de acompanhamento sempre que reduzir sua dose de benzodiazepínicos, para que o médico possa avaliar seus sinais vitais, assim como seu bem-estar geral e saúde emocional.

2. Abandone os benzodiazepínicos de forma gradual

É melhor abandonar os benzodiazepínicos de forma gradual ao longo de algumas semanas, em vez de o mais rápido possível – principalmente para pessoas que usam benzodiazepínicos por mais de seis meses.

Reduzir a dose rapidamente aumenta as chances de ataques de pânico graves, o que pode levar a uma recaída. Em vez disso, planeje diminuir o uso em cerca de 25% a cada duas semanas.

Um bom planejamento é diminuir a dose em cerca de 1 mg a cada duas ou três semanas.

Isso dá ao corpo tempo suficiente para reajustar sua dependência à nova dose. Quando o corpo se estabiliza, você pode passar para o próximo estágio e iniciar o processo novamente.

3. A perseverança é a chave para o sucesso

Mesmo com a ajuda do CBD, deixar de tomar os benzodiazepínicos pode ser um grande desafio. Apesar de o CBD conseguir melhorar significativamente os sintomas da abstinência, ele não os eliminará completamente.

Muitas pessoas acham que uma combinação de fatores é a melhor maneira de superar a fase desconfortável de abstinência.

É importante perseverar nos períodos em que os sintomas da abstinência podem ser ainda mais desafiadores. Lembre-se de que o desconforto irá eventualmente acabar para sempre, mas apenas se o processo de retirada for feito até o final.

4. Use os produtos de CBD corretos

Existem muitos produtos de CBD no mercado – muitos dos quais não serão suficientes para esta finalidade.

Procure um óleo ou outro produto de CBD que tenha as seguintes características:

  • Extrato de espectro completo
  • Potência alta (pelo menos 33 mg/ml)
  • Cânhamo orgânico
  • Testado independentemente para provar a ausência de contaminantes

O uso de produtos de CBD baratos e de baixa qualidade pode ser ineficaz em alguns casos, podem até tornar os sintomas ainda piores. Isto é especialmente verdade com contaminantes, como pesticidas e metais pesados ​​- que podem causar ansiedade. Esta é a última coisa que você vai querer quando estiver na fase de abstinência de benzodiazepínicos.

Também recomendamos que você opte por um extrato de espectro completo. A combinação completa de canabinoides, terpenos e outros fitoquímicos da planta de cannabis mostrou ser mais benéfica do que o CBD isoladamente [1].

5. Considere o uso de vaporizadores

Nós raramente recomendamos que alguém comece com vaporizadores, especialmente se você já não é fumante.

No entanto, neste caso, o vaporizador é muito benéfico para mudar hábitos de uso de drogas.

A própria ação do vaporizador pode ajudar os usuários a mudar hábitos em seus cérebros. Normalmente, quando os usuários de benzodiazepínicos sentem ansiedade entre as doses, eles procuram as pílulas. Isso forma caminhos de hábito no cérebro que podem ser difíceis de se livrar.

Este hábito de tomar as pílulas para ansiedade pode ser substituído por algumas tragadas no vaporizador.

É claro que você não quer ter um comportamento compulsivo ou viciante em nada, inclusive no vaporizador – mas durante o processo de abandono gradual dos benzodiazepínicos, isso pode ser um divisor de águas.

O vaporizador também tem a vantagem de ter uma ação rápida – especialmente em comparação com óleos ou cápsulas de CBD que podem levar até 45 minutos para começar a fazer efeito, o vaporizador leva apenas de 5 a 15 minutos para produzir os mesmos resultados.

Quando surgem ataques de ansiedade, eles aparecem do nada, então o alívio também precisa ser rápido.

6. Use diversas formas de tratamento ao mesmo tempo

Assim como em qualquer outra condição médica complexa, o melhor tratamento é uma abordagem multifacetada ao invés de um único tratamento. Os profissionais da saúde que trabalham em centros de reabilitação e tratam pacientes com dependência química têm diversas técnicas à disposição. O mesmo vale para pessoas que estão tentando se livrar da sua dependência em casa.

Algumas técnicas comuns que as pessoas usam para suportar a abstinência de benzodiazepínicos podem incluir:

  • Grupos de apoio
  • Outros suplementos
  • Apoio nutricional
  • Remoção de gatilhos comuns para o uso de drogas
  • Começar um novo hobbie

O Que as Pesquisas dizem

Um dos benefícios mais bem estudados do CBD são os seus efeitos ansiolíticos.

Curiosamente, muito deste benefício do CBD se dá por meio de sua atividade nos próprios receptores dos benzodiazepínicos [2, 3].

Isso significa duas coisas:

  1. O CBD pode ser usado para substituir os benzodiazepínicos para ajudar na retirada gradual da droga.
  2. O CBD pode aumentar os efeitos dos benzodiazepínicos – por isso, é essencial começar com doses baixas e aumentar gradualmente.

Um estudo retrospectivo publicado em 2019 analisou um grupo de 146 pacientes de maconha medicinal que também estavam tomando benzodiazepínicos no início do estudo [4]. Ao final do estudo de dois meses, 30% dos pacientes não estavam mais tomando os benzodiazepínicos. Um acompanhamento após seis meses descobriu que 45% dos pacientes que participaram do estudo estavam completamente livres de benzodiazepínicos.

Principais Conclusões: Abandonando os Benzodiazepínicos com CBD

Os benzodiazepínicos representam um problema significativo em todo o mundo. A curto prazo, estas drogas são incrivelmente úteis para eliminar graves transtornos de ansiedade e pânico. No entanto, o uso a longo prazo pode resultar em dependência severa. Parar a medicação por qualquer motivo pode ser torturante, pois os sintomas da abstinência começam a aparecer.

O CBD é um suplemento muito útil para ajudar no processo de recuperação. Ele possui efeitos semelhantes aos medicamentos benzodiazepínicos, o que ajuda no alívio dos sintomas da abstinência. Além disso, os extratos de CBD têm outros benefícios que podem ser usados ​​para tornar o processo de abandono mais confortável – melhorando, assim, as chances de sucesso na recuperação.

É claro que sempre que tentar algo do tipo, é importante procurar primeiro orientação médica. Seu médico deve estar de acordo com seu plano de interromper a medicação e irá ajudá-lo a formar um plano de abandono gradual – diminuindo cuidadosamente as doses de benzodiazepínicos, enquanto aumenta a dose de CBD.

Este estudo foi retrospectivo, analisando a relação entre o uso de benzodiazepínicos e o uso de cannabis. O estudo original não analisou os efeitos do abandono gradual dos benzodiazepínicos juntamente com a cannabis ou o CBD especificamente. Os resultados provavelmente seriam muito maiores se a intenção for mesmo abandonar os benzodiazepínicos.

Referências

  1. Hollister, L. E. (1974). Structure-activity relationships in man of cannabis constituents, and homologs and metabolites of Δ9-tetrahydrocannabinol. Pharmacology, 11(1), 3-11.
  2. Sethi, B. B., Trivedi, J. K., Kumar, P., Gulati, A., Agarwal, A. K., & Sethi, N. (1986). Antianxiety effect of cannabis: involvement of central benzodiazepine receptors. Biological psychiatry, 21(1), 3-10.
  3. Crippa, J. A. S., Derenusson, G. N., Ferrari, T. B., Wichert-Ana, L., Duran, F. L., Martin-Santos, R., … & Filho, A. S. (2011). Neural basis of anxiolytic effects of cannabidiol (CBD) in generalized social anxiety disorder: a preliminary report. Journal of Psychopharmacology, 25(1), 121-130.
  4. Purcell, C., Davis, A., Moolman, N., & Taylor, S. M. (2019). Reduction of Benzodiazepine Use in Patients Prescribed Medical Cannabis. Cannabis and Cannabinoid Research.